CUIDAR DE UM DOENTE COM LINFOMA NÃO-HODGKIN

Não é fácil saber o que dizer ou como ajudar alguém a quem foi diagnosticado um linfoma não-Hodgkin. Não existe uma maneira certa ou errada de lidar com a situação.

Embora seja uma reacção natural, é importante lembrar-se que o doente nem sempre necessita de ser “animado” – estar presente pode ser suficiente. Às vezes é melhor não dizer nada e ouvir, do que dizer algo que possa parecer falso ou insensível. 

Por vezes, é extremamente importante pensar em coisas práticas que pode fazer, como organizar o transporte para o hospital, preparar as refeições, acompanhar o doente nas consultas, para se lembrar do que foi dito e colocar questões, e organizar actividades nas alturas em que o doente se sente melhor. 

 

 

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda