O TRATAMENTO DO MIELOMA MÚLTIPLO

Muitos doentes com mieloma múltiplo querem participar activamente nas decisões acerca dos cuidados médicos que lhes são prestados. Querem estar o mais informados possível acerca da sua doença e das opções de tratamento. Contudo, o choque e a tensão que as pessoas frequentemente sentem após um diagnóstico de cancro fazem com que seja difícil pensar em tudo o que gostariam de perguntar ao médico. Muitas vezes, é útil preparar uma lista de perguntas antes da consulta. Alguns doentes preferem a presença de um familiar ou amigo ao seu lado durante as consultas – para participar na conversa, ou apenas ouvir.

Não é necessário fazer todas as perguntas nem compreender todas as respostas de uma só vez. Haverá com certeza outras oportunidades para pedir ao médico que lhe explique tudo o que não percebeu e solicitar mais informações.

O médico pode encaminhar os doentes para médicos especializados no tratamento do cancro ou os próprios doentes podem solicitar esse encaminhamento. Os especialistas que tratam o mieloma múltiplo são os médicos hematologistas,  oncologistas e radioterapêutas.

OBTER UMA SEGUNDA OPINIÃO

Antes de iniciar o tratamento, o doente pode querer ouvir uma segunda opinião acerca do diagnóstico, do estadio da doença e do plano de tratamento. Reunir os resultados dos exames médicos e preparar-se para consultar outro médico pode demorar algum tempo. Na maioria dos casos, um breve atraso não diminui a eficácia do tratamento. Para ter a certeza, deve falar com o seu médico sobre este atraso no início do tratamento. Alguns doentes com mieloma múltiplo necessitam de tratamento imediato.

O médico pode encaminhar os doentes para um ou mais especialistas. Nos centros de oncologia, estes médicos trabalham quase sempre em equipa.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.