MIELOMA MÚLTIPLO: MÉTODOS DE TRATAMENTO DISPONÍVEIS

A escolha do tratamento depende sobretudo do estadio da doença e dos sintomas que o doente apresenta. O estado de saúde do doente será avaliado regularmente para se dar início ao tratamento quando o médico julgar pertinente.

Se o doente tiver sintomas, o tratamento irá provavelmente implicar a utilização de fármacos.

Por vezes, o transplante de células estaminais ou radioterapia fazem parte do plano de tratamento. O médico pode descrever as opções de tratamento e os resultados esperados para cada uma delas. O doente e o médico podem trabalhar em conjunto na elaboração de um plano de tratamento adaptado às necessidades do doente.

Uma vez que o tratamento convencional poderá não controlar o mieloma, o doente poderá querer falar com o médico sobre a possibilidade de participar num ensaio clínico. Os ensaios clínicos são estudos de pesquisa de novos métodos de tratamento.

Poderá receber cuidados de suporte, em qualquer estadio da doença para controlar e prevenir possíveis complicações (p.ex. infecções) causadas pelo mieloma múltiplo. (Consulte a área “Cuidados de Suporte”.)

Estas são algumas questões que o doente poderá querer colocar ao médico antes de iniciar o tratamento:

  • Qual é o estadio de evolução da minha doença?
  • A doença está a afectar os meus rins?
  • Quais são as minhas opções de tratamento?  Qual é que me recomenda? Irei realizar mais do que um tipo de tratamento? Como irá o meu tratamento modificar-se ao longo do tempo?
  • Quais são os benefícios esperados para cada tipo de tratamento?
  • Quais são os riscos e os possíveis efeitos secundários de cada tratamento? O que podemos fazer para controlar os efeitos secundários?
  • De que modo o tratamento irá afectar a minha actividade normal?
  • O que posso fazer para cuidar de mim durante o tratamento?
  • Com que frequência irei necessitar de realizar exames médicos completos?
  • Um ensaio clínico (estudo de pesquisa) será apropriado para o meu caso?

TERAPÊUTICA COM FÁRMACOS ANTICANCERÍGENOS

Regra geral, o tratamento do mieloma envolve a utilização de fármacos anti-cancerígenos. Este tratamento é designado por terapêutica sistémica, uma vez que os fármacos entram na corrente sanguínea e podem afectar todas as células do organismo.

São utilizados diversos tipos de fármacos para tratar o mieloma. Cada tipo de medicamento mata as células cancerígenas de forma diferente. Também é muito frequente os doentes receberem uma combinação de fármacos.

Os fármacos poderão ser administrados por via oral ou intravenosa. Regra geral, o tratamento ocorre em ambulatório, ou seja não requer internamento.

Estas são algumas questões que o doente poderá querer colocar ao médico antes de ser submetido a uma terapia com fármacos anti-cancerígenos:

  • Que tipo de fármaco(s) me vão ser administrados?
  • Quais são os benefícios esperados do tratamento?
  • Quais são os riscos e os possíveis efeitos secundários do tratamento? O que podemos fazer acerca deles?
  • Existem alguns efeitos a longo prazo?
  • Quando começará o tratamento? Quando irá terminar?
  • De que modo o tratamento irá afectar a minha actividade normal ?

TRANSPLANTE DE CÉLULAS ESTAMINAIS

Alguns doentes com mieloma múltiplo são submetidos a um transplante de células estaminais. O transplante de células estaminais obriga a que o doente receba doses elevadas de quimioterapia, radioterapia ou ambas. As doses elevadas destroem tanto as células do mieloma como as células sanguíneas normais na medula óssea. Depois disso, o doente recebe células estaminais saudáveis através de uma veia de grande calibre. A partir das células estaminais transplantadas irão desenvolver-se novas células sanguíneas.

Os transplantes de células estaminais realizam-se no hospital. Alguns doentes recebem dois ou mais transplantes.

As células estaminais podem ser provenientes do próprio doente ou de um dador:

  • Transplante autólogo de células estaminais: Neste tipo de transplante utilizam-se as células estaminais do próprio doente após realização do tratamento para o mieloma. As células estaminais são retiradas do doente. Estas podem ser tratadas para matar as eventuais células de mieloma que possam estar presentes. As células estaminais são congeladas e armazenadas. Depois de o doente ter recebido doses elevadas de tratamento, as células estaminais armazenadas são reinfundidas no doente.
  • Transplante alogénico de células estaminais: Neste caso, as células estaminais saudáveis são provenientes de um dador. O dador pode ser um familiar directo ou uma pessoa compatível, embora sem qualquer grau de parentesco. Para garantir que as células do dador são compatíveis com as do doente, realizam-se análises ao sangue.
  • Transplante singénico de células estaminais: Este tipo de transplante utiliza células estaminais de um irmão gémeo (gémeo verdadeiro) do doente.

Estas são algumas questões que o doente poderá querer colocar ao médico antes de se submeter a um transplante de células estaminais:

  • Quais são os riscos e os benefícios possíveis dos diferentes tipos de transplante?
  • A que tipo de transplante de células estaminais irei ser sujeito? Se necessitar de um dador, como é que encontramos um?
  • Quanto tempo será necessário ficar no hospital? Irei necessitar de cuidados especiais?
  • Como saberemos se o tratamento está a resultar?
  • O que podemos fazer quanto aos efeitos secundários?
  • De que modo o tratamento irá afectar a minha actividade normal?
  • Qual é a probabilidade de uma recuperação total?

RADIOTERAPIA

A radioterapia (terapia por radiação) utiliza raios de alta energia para matar células de mieloma e ajudar a controlar a dor. Este procedimento realiza-se num hospital ou numa clínica.

Nos doentes com mieloma, a radioterapia é administrada de duas formas:

  • Radiação local: A radiação emitida por um grande aparelho é direccionada para o osso ou para outras regiões onde as células de mieloma se acumularam. É uma terapêutica local uma vez que apenas afecta células na área tratada. Este é o tratamento mais utilizado em doentes com um único plasmacitoma. Os doentes são submetidos a esta radiação durante 4 a 5 semanas. Pode também realizar-se uma série de radioterapia mais reduzida para controlar o crescimento de tumores nos ossos e ajudar a aliviar a dor.
  • Irradiação total do organismo: Alguns doentes são submetidos a radiação de todo o organismo antes de realizarem um transplante de células estaminais. Os tratamentos por radiação podem ser administrados 2 a 3 vezes por dia ao longo de alguns dias.

Estas são algumas questões que o doente poderá querer colocar ao médico antes de ser submetido a radioterapia:

  • Porque necessito deste tratamento?
  • Quais são os riscos e os efeitos secundários deste tratamento? O que podemos fazer acerca deles?
  • Existem alguns efeitos a longo prazo?
  • Quando começarão os tratamentos? Quando irão terminar?
  • Como me irei sentir durante a terapia?
  • De que modo o tratamento irá afectar a minha actividade normal?
Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.