MIELOMA MÚLTIPLO: GLOSSÁRIO

Acupunctura: Técnica que consiste na inserção de agulhas finas na pele em pontos específicos do corpo para controlar a dor e outros sintomas. É um tipo de medicina complementar e alternativa.

Amiloidose: Grupo de doenças em que são depositadas proteínas em órgãos específicos (amiloidose localizada) ou em todo o organismo (amiloidose sistémica). A amiloidose pode ser ou primária (de causa desconhecida) ou secundária (devida a doença, incluindo alguns tipos de cancro). Geralmente, a amiloidose primária afecta os nervos, a pele, a língua, as articulações, o coração e o fígado; a amiloidose secundária afecta o baço, os rins, o fígado e as glândulas supra-renais.

Anemia: Situação clínica em que o número de glóbulos vermelhos se encontra abaixo do normal.

Anestesia local: Fármacos que provocam a perda temporária de sensibilidade numa determinada parte do corpo. O doente permanece acordado mas não consegue sentir a parte do corpo que foi anestesiada.

Anómalo: Não normal. Uma lesão ou um neoplasma anómalo pode ser cancerígeno, pré-maligno (com probabilidade de evoluir para cancro) ou benigno.

Anticorpo: Tipo de proteína produzida por alguns glóbulos brancos (células plasmáticas) em resposta a substâncias estranhas (antigénios). Cada anticorpo só se pode ligar a um antigénio específico. O objectivo desta ligação é ajudar a destruir o antigénio. Os anticorpos podem actuar de várias formas, dependendo da natureza do antigénio. Alguns anticorpos destroem directamente os antigénios, outros facilitam aos glóbulos brancos a destruição do antigénio.

Aparelho digestivo: Órgãos através dos quais os alimentos e os líquidos passam quando são ingeridos, digeridos e eliminados. Estes órgãos são a boca, o esófago, o estômago, o intestino grosso e delgado e o recto.

Aspiração da medula óssea: Recolha por sucção de uma pequena amostra de medula óssea (regra geral da anca) através de uma agulha para análise microscópica.

Benigno: Não cancerígeno; um tumor benigno não afecta os tecidos adjacentes nem se dissemina para outras partes do organismo.

Beta-2-microglobulina: Proteína que por vezes se encontra em elevada quantidade no sangue e que pode indicar a existência de alguns tipos de cancro, tais como o mieloma ou o linfoma.

Biopsia aspirativa: Recolha de uma amostra de tecido com uma agulha para análise microscópica.

Biopsia da medula óssea: Recolha de uma amostra de tecido da medula óssea com uma agulha para análise microscópica.

Biopsia: Colheita de células ou tecidos para serem analisados por um patologista. O patologista pode estudar o tecido ao microscópio ou realizar outros exames. Quando apenas é colhida uma amostra de tecido, o procedimento é designado por biopsia incisional ou punção-biopsia. Quando se remove o tumor ou a lesão na totalidade, o procedimento recebe o nome de biopsia excisional. Quando se retira uma amostra de tecido ou de líquido com uma agulha, o procedimento é designado por biopsia aspirativa, microbiopsia ou aspiração por agulha fina.

Cálcio: Mineral existente nos dentes, ossos e outros tecidos do organismo.

Cancro: Termo utilizado para designar doenças em que células anómalas se dividem sem controlo. As células cancerígenas podem invadir os tecidos adjacentes e disseminar-se através da corrente sanguínea e do sistema linfático para outras partes do organismo. Existem vários tipos principais de cancro. O carcinoma é um cancro que tem origem na pele ou nos tecidos que revestem ou cobrem órgãos internos. O sarcoma é um cancro que tem origem nos ossos, cartilagens, gordura, músculos, vasos sanguíneos ou outros tecidos conjuntivos. A leucemia é um cancro que tem origem nos tecidos produtores de sangue, como a medula óssea. Dá-se uma grande produção de células sanguíneas anómalas que entram na corrente sanguínea. O linfoma e o mieloma múltiplo são cancros que têm origem nas células do sistema imunitário.

Célula plasmática: Tipo de glóbulo branco que produz anticorpos.

Células estaminais: Células a partir das quais, outros tipos de células se desenvolvem

Cuidados de Suporte: Cuidados prestados para melhorar a qualidade de vida de doentes. O objectivo dos cuidados de suporte é prevenir ou tratar, o mais cedo possível, os sintomas da doença, os efeitos secundários resultantes do tratamento e os problemas psicológicos, sociais e espirituais relacionados com a doença ou com o seu tratamento. Também designados por cuidados paliativos, cuidados de conforto e gestão dos sintomas.

Desidratação: Estado provocado pela perda de muita água do organismo. Diarreias graves ou vómitos podem provocar desidratação.

Determinação do estadio: Realização de exames e análises para determinar a extensão do cancro, especialmente se a doença se disseminou do local inicial para outras partes do organismo. É importante determinar o estadio de evolução da doença de modo a definir o melhor plano de tratamento.

Diálise: O processo de filtragem do sangue, quando os rins não estão em condições de o fazer.

Nutricionista: Profissional de saúde com formação especial em nutrição e que pode ajudar nas escolhas alimentares. Também designado por nutricionista.

Doença do enxerto versus hospedeiro: DEVH. Reacção das células estaminais doadas contra os tecidos do doente.

Efeitos secundários: Problemas que ocorrem quando o tratamento afecta células saudáveis. Efeitos secundários comuns do tratamento do cancro são: fadiga, dor, náuseas, vómitos, diminuição da contagem de células sanguíneas, queda de cabelo e feridas na boca.

Ensaio clínico: Estudo de investigação que testa a eficácia de novos tratamentos médicos ou outras intervenções nos seres humanos. Estes estudos destinam-se a avaliar novos métodos de rastreio, prevenção, diagnóstico ou tratamento de determinada doença. Os estudos podem ser realizados num hospital ou numa clínica. Também designado por estudo clínico.

Estadio: Extensão de um cancro, especialmente se a doença se disseminou do local inicial para outras partes do corpo.

Factor de risco: Um factor de risco é algo que pode aumentar a probabilidade de se vir a desenvolver uma doença. Alguns exemplos de factores de risco para o cancro são a idade, os antecedentes familiares de determinados cancros, o tabagismo, os hábitos alimentares, a obesidade, a exposição a radiação ou outros agentes carcinogénicos e algumas alterações genéticas.

Gamapatia monoclonal de significado indeterminado: GMSI. Situação benigna que afecta as células plasmáticas, um tipo de glóbulos brancos. Estas células plasmáticas anómalas produzem proteínas identificadas nas análises de sangue e de urina. A GMSI pode levar ao desenvolvimento de cancro.

Glóbulos brancos: GB. Refere-se a uma célula sanguínea que não contém hemoglobina. Os glóbulos brancos são os linfócitos, os neutrófilos, os eosinófilos, os macrófagos e os mastócitos. Estas células são produzidas pela medula óssea e ajudam o corpo a combater infecções e outras doenças.

Glóbulos vermelhos: GV. Células que transportam oxigénio no organismo. Também designados por eritrócitos.

Hematologista: Médico especializado no tratamento de doenças do sangue.

Infecção: Invasão e multiplicação de germes no organismo. As infecções podem ocorrer em qualquer parte e disseminar-se pelo organismo. Os germes podem ser bactérias, vírus, leveduras ou fungos. Podem provocar febre e outros problemas, dependendo do local onde ocorrer a infecção. Se não estiver comprometido, o sistema de defesa natural do organismo, pode combater os germes e evitar as infecções. O tratamento do cancro pode enfraquecer o sistema de defesa natural.

Irradiação total do corpo: Radioterapia de todo o organismo. Regra geral é seguida por transplante de células estaminais periféricas.

Medicina Alternativa e Complementar: MAC. Formas de tratamento para complementar (e não em alternativa) ao tratamento padrão. Regra geral, estas práticas não são consideradas abordagens médicas padrão. A MAC pode incluir: suplementos alimentares, mega doses vitamínicas, fitoterapia, chás, acupunctura, massagens, terapia magnética, cura espiritual e meditação.

Medicina alternativa: Práticas utilizadas em alternativa aos tratamentos padrão. Regra geral, estas práticas não são reconhecidas pela comunidade médica, como sendo técnicas padrão ou abordagens médicas convencionais. A medicina alternativa inclui suplementos alimentares, mega doses vitamínicas, fitoterapia, chás, acupunctura, massagens, terapia magnética, cura espiritual e meditação.

Medicina complementar: Práticas utilizadas na maioria dos casos para melhorar ou complementar os tratamentos padrão. Regra geral, estas práticas não são reconhecidas pela comunidade médica, como sendo abordagens médicas padrão ou convencionais. A Medicina complementar pode incluir suplementos alimentares, mega doses vitamínicas, fitoterapia, chás especiais, acupunctura, massagens, terapia magnética, cura espiritual e meditação.

Médico Oncologista: Médico especializado no diagnóstico e tratamento de doenças oncológicas mediante quimioterapia, hormonoterapia e terapêuticas biológicas. O médico oncologista é, regra geral, o principal médico dos doentes que sofrem de cancro. O médico oncologista também presta cuidados de suporte e pode coordenar o tratamento definido por outros especialistas.

Medula óssea: A medula óssea é um tecido mole e esponjoso que se encontra no interior da maioria dos ossos. Produz glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas.

Mieloma múltiplo: Cancro que se desenvolve nas células plasmáticas (glóbulos brancos que produzem anticorpos). Também designado por doença de Kahler, mielomatose ou mieloma das células plasmáticas.

Obesidade: Ter uma quantidade altamente elevada e nociva de tecido adiposo.

Patologista: Médico especializado em identificar doenças através do estudo microscópico de células e tecidos.

Pesticida: Químico utilizado para matar insectos e outras pestes.

Plaquetas: Tipo de células sanguíneas que ajudam a prevenir hemorragias por criação de coágulos. Também designado por trombócito.

Plasmacitoma: Tumor localizado constituído por células plasmáticas cancerígenas (glóbulos brancos que produzem anticorpos).

Prednisolona: Pertence à classe de medicamentos designados por esteróides, utilizada no tratamento de diversos tipos de cancro e outras doenças. A prednisolona também inibe a resposta do sistema imunitário.

Proteína de Bence Jones: Pequena proteína produzida pelas células plasmáticas, um tipo de glóbulo branco. Encontra-se na urina da maioria das pessoas com mieloma múltiplo (cancro que se desenvolve nas células plasmáticas).

Proteína M: Anticorpo ou parte de um anticorpo existente em grandes quantidades no sangue ou na urina de pessoas com mieloma múltiplo. Também designada por proteína monoclonal.

Qualidade de vida: Prazer de viver. Muitos ensaios clínicos avaliam os efeitos do cancro e dos seus tratamentos na qualidade de vida. Estes estudos avaliam aspectos individuais de bem-estar e a capacidade para desempenhar várias actividades.

Quimioterapia: Tratamento com fármacos anti-cancerígenos.

Radiação: Energia libertada sob a forma de partículas ou ondas electromagnéticas. Fontes comuns de radiação incluem o gás radão, raios cósmicos do espaço exterior e raios X médicos.

Radioterapêuta: Médico que se especializou na utilização de radiação para tratar o cancro.

Radioterapia: Utilização de radiação de alta energia de raios-X, raios gama, neutrões e outras fontes para matar células cancerígenas e reduzir o tamanho dos tumores. A radiação pode ser emitida por um aparelho exterior ao corpo (radioterapia externa) ou a partir de material radioactivo colocado numa área próxima das células cancerígenas (terapia por radiação interna, radiação por implante ou braquiterapia). A radioterapia sistémica utiliza uma substância radioactiva, como o anticorpo monoclonal marcado com radioactividade, que circula em todo o organismo. Também denominada terapia por radiação.

Raio X: Tipo de radiação de alta energia. Em doses baixas, os raios X são utilizados para diagnosticar doenças por aquisição de imagens do interior do corpo. Em doses elevadas, os raios X são utilizados para tratar o cancro.

Recorrência: Podem ocorrer recidivas do cancro no mesmo local do tumor original (primário) ou noutro, depois do tumor ter desaparecido.

RM: Ressonância magnética: procedimento no qual um poderoso íman ligado a um computador é utilizado para criar imagens detalhadas de áreas no interior do corpo. Estas imagens podem mostrar a diferença entre tecido normal e doente. A RM é a melhor forma de visualizar os órgãos e tecidos moles.
A RM é especialmente útil para obter imagens do cérebro, da coluna vertebral, das cartilagens e do interior dos ossos. Também designada por imagiologia por ressonância magnética nuclear.

Sintoma: Uma indicação de que a pessoa está doente. Alguns exemplos de sintomas são dor de cabeça, febre, fadiga, náuseas, vómitos e dor.

Sistema imunitário: O complexo grupo de órgãos e de células que defendem o organismo contra infecções e outras doenças.

TAC: Tomografia axial computorizada. Uma sequência de imagens detalhadas de áreas do organismo obtidas de diferentes ângulos; as imagens são criadas por um computador ligado a um aparelho de raios X. Também é designada por tomografia computadorizada e tomografia axial computarizada.

Tecido: Grupo ou camada de células que trabalham em conjunto para realizar determinada função.

Terapia local: Tratamento que afecta as células no tumor e a área envolvente.

Terapêutica sistémica: Tratamento que utiliza substâncias que circulam na corrente sanguínea, atingindo e afectando células em todo o organismo.

Transfusão de sangue: Administração de sangue ou de produtos sanguíneos num vaso sanguíneo.

Transplante alogénico de células estaminais: Procedimento no qual o doente recebe células estaminais (células a partir das quais se desenvolvem todas as células sanguíneas) de outra pessoa, um dador geneticamente semelhante mas não idêntico. Em geral, trata-se de uma irmã ou irmão, mas pode também ser uma pessoa sem qualquer grau de parentesco.

Transplante autólogo de células estaminais: Procedimento em que células estaminais mielóides (células a partir das quais se formam todas as células sanguíneas) são removidas, armazenadas e posteriormente administradas de novo no doente.

Transplante de células estaminais: Método de substituir células sanguíneas imaturas que foram destruídas pelo tratamento oncológico. As células estaminais são administradas ao doente, após o tratamento para ajudar a medula óssea a recuperar e continuar a produzir células sanguíneas saudáveis.

Transplante singénico de células estaminais: Procedimento em que o doente recebe células estaminais doadas por um irmão ou irmã gémea (gémeos idênticos).

Tumor da célula plasmática: Cancro das células plasmáticas (glóbulos brancos que produzem anticorpos). O mieloma múltiplo é o tipo mais comum.

Tumor: Massa anómala de tecido que tem origem numa divisão celular excessiva ou quando as células não morrem quando deviam. Os tumores podem ser benignos (não cancerígenos) ou malignos (cancerígenos). Também designado por neoplasma.

Vírus: Microrganismo que pode infectar as células e originar uma doença.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.