LINFOMA NÃO HODGKIN: FORMAS DE DIAGNÓSTICO

Se tem gânglios linfáticos inchados, ou outro tipo de sintomas que sugiram Linfoma não Hodgkin, o médico tem que proceder a uma observação cuidadosa, e pedir todos os exames complementares necessários, bem como perguntar acerca da sua história clínica e familiar.

Os exames e análises para diagnóstico, podem incluir:

  • Exame físico: o médico observa a pessoa, para verificar se existem alterações dos gânglios linfáticos no pescoço, axilas e virilhas. Também poderão ser palpados o baço e fígado, para ver se há inchaço.
  • Análises sanguíneas: o laboratório faz a contagem de células do sangue.
  • Radiografia ao tórax: importante para despistar sinais de doença no tórax; permite uma avaliação indirecta dos pulmões e do coração.
  • Biópsia: o médico remove uma porção de tecido, para pesquisa de possíveis células tumorais; a amostra é analisada ao microscópio, por um patologista. Numa biópsia, pode ser removida a totalidade de um gânglio linfático (biópsia excisional), ou apenas uma parte (biópsia incisional). A biópsia é o único método seguro de saber se as células tumorais correspondem a um linfoma.

Antes de fazer uma biópsia, poderá querer colocar algumas questões ao seu médico:

  • Como vai ser feita a biópsia?
  • Onde farei a biópsia?
  • Quanto tempo levará?
  • Estarei acordado?
  • Vai doer?
  • Existem riscos? Quais são as probabilidades de infecção ou hemorragia, depois da biópsia?
  • Quanto tempo levará a recuperação?
  • Quando saberei os resultados? Quem mos vai explicar?
  • Se eu tiver um linfoma, quem falará comigo acerca dos passos seguintes? Quando?
Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.