CANCRO DO RIM: DETERMINAÇÃO DO ESTADIO

Para definir o melhor plano de tratamento, o médico necessita conhecer o estadio em que a doença se encontra, ou seja qual a sua extensão. O estadio é baseado no tamanho do tumor, quais as zonas do órgão atingidas, na sua disseminação e, em caso afirmativo, para que outras zonas do corpo.
A determinação do estadio de evolução pode implicar a realização de exames de imagiologia tais como ultra-sonografia ou TAC. O médico pode também fazer uma ressonância magnética (RM). Para este teste, é utilizado um poderoso íman ligado a um computador para obter imagens detalhadas de órgãos e vasos sanguíneos.
Os médicos classificam o cancro do rim de acordo com os seguintes estádios de evolução:

  • Estadio I é um estádio precoce do cancro do rim. O tumor mede até 7 centímetros. Não é maior do que uma bola de ténis. O tumor está confinado ao rim, ou seja apenas se encontram células tumorais no rim.
  • Estadio II é também um estádio precoce de cancro dos rins, mas o tumor mede mais de 7 centímetros. O tumor está confinado ao rim, ou sejam, apenas se encontram células tumorais no rim.
  • Estadio III o tumor estende-se para além do rim mas não há envolvimento dos gânglios linfáticos nem metástases, e pode ser um dos seguintes:
    • O tumor não se estende para além do rim, mas as células tumorais disseminaram-se através do sistema linfático para um gânglio linfático adjacente; ou
    • O tumor invadiu a glândula supra-renal ou a camada de tecido gordo e fibroso que envolve o rim, mas as células tumorais não se disseminaram para além do tecido fibroso. As células tumorais podem ser encontradas em umgânglio linfático adjacente; ou
    • As células tumorais disseminaram-se do rim para um vaso sanguíneo de grande calibre adjacente. As células neoplásicas podem ser encontradas num gânglio linfático adjacente
  • Estadio IV invasão do tumor para além da Fáscia de Gerota com ou sem envolvimento ganglionar ou tumores que apresentam metástases e pode ser um dos seguintes:
    • O tumor estende-se para além do tecido fibroso que envolve o rim; ou
    • As células tumorais podem ser encontradas em mais do que um gânglio linfático adjacente; ou
    • O cancro disseminou-se para outras partes do corpo tal como os pulmões, e fígado.

O cancro recorrente é um cancro que recidiva (ocorre novamente) após o tratamento. Podem ocorrer recidivas no rim ou em qualquer outra parte do corpo.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.