CANCRO DO ESTÔMAGO: ESTADIAMENTO

Se a biópsia comprovar a existência de um cancro, o médico precisa de saber qual a extensão (estadio) da doença, para melhor planear o tratamento. O estadio da doença está relacionado com o facto do tumor ter, ou não, invadido os tecidos vizinhos, e de se ter disseminado para outras partes do corpo. Como o cancro do estômago pode metastizar para o fígado, pâncreas, e outros órgãos perto do estômago, como os pulmões, o médico pode pedir uma TAC, uma ecografia ou outros exames, para verificar estas áreas.

Por vezes, o estadiamento não está terminado até que a pessoa faça uma cirurgia. O cirurgião remove os gânglios linfáticos que se encontram na região do tumor e pode, ainda, colher amostras de tecido de outras áreas do abdómen. Estas amostras serão examinadas por um patologista, para verificar a possível existência de células cancerígenas. A decisão, acerca do tratamento a fazer, após a cirurgia, depende destas análises.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.