CAUSAS DO CANCRO DO ESTÔMAGO

A taxa de incidência de cancro do estômago nos Estados Unidos e o número de mortes desta doença diminuíram dramaticamente, durante os últimos 60 anos.
O cancro do estômago é, ainda, uma doença grave; continuam a ser estudadas as suas causas, bem como as possíveis formas de o prevenir. Nesta altura, os médicos não conseguem explicar porque é que uma pessoa tem cancro do estômago e outra não.

Está estudado que há pessoas mais susceptíveis que outras para desenvolver cancro do estômago. A doença é mais comum em pessoas com mais de 55 anos. Afecta duas vezes mais os homens do que as mulheres, e é mais comum na raça negra do que na branca (caucasiana). O cancro do estômago é mais comum em algumas partes do mundo, como o Japão, a Coreia, algumas zonas da Europa Ocidental e América Latina. Nestas regiões, a alimentação é muito rica em alimentos conservados por secagem, fumeiro, salga ou vinagre. Pensa-se que a ingestão de alimentos conservados desta forma possa ter um papel fundamental no desenvolvimento do cancro do estômago. Por outro lado, os alimentos frescos, especialmente fruta e vegetais frescos, bem como alimentos frescos devidamente congelados, podem proteger desta doença.

As úlceras do estômago parecem não aumentar o risco da pessoa ter um cancro do estômago. No entanto, alguns estudos sugerem que uma bactéria, Helicobacter pylori, que pode causar inflamação e úlceras no estômago, possa ser um importante factor de risco para o cancro do estômago. Alguns estudos demonstram, também, que pessoas que fizeram uma cirurgia ao estômago, que têm anemia perniciosa, acloridria ou atrofia gástrica (que resulta, geralmente, numa diminuição das quantidades normais de sucos digestivos), apresentam risco aumentado de ter cancro do estômago.

A exposição a certos pós e fumos, no local de trabalho, foi associada a um risco aumentado de cancro do estômago. Alguns cientistas acreditam que fumar pode aumentar o risco de ter cancro do estômago.

Se pensa que pode apresentar risco aumentado para ter cancro do estômago, deverá discutir essa preocupação com o médico; poderá saber como reduzir o risco e qual será o calendário ideal para fazer exames regulares.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.