O TRATAMENTO DO CANCRO DO CÉREBRO

Muitos doentes com tumores cerebrais exigem ter um papel activo nas decisões sobre os cuidados médicos que lhes são prestados. Querem estar o mais informados possível sobre a sua doença e as opções de tratamento. Contudo, o choque e a tensão que as pessoas habitualmente sentem após um diagnóstico de cancro fazem com que seja difícil pensar em tudo o que gostariam de perguntar ao médico. Muitas vezes, é útil preparar uma lista de perguntas antes da consulta. Para ajudar a relembrar o que o médico disse, os doentes podem tirar apontamentos ou pedir autorização para utilizar um gravador. Alguns doentes querem ainda ter consigo um familiar ou amigo quando falam com o médico – para participar na discussão, tomar notas ou simplesmente ouvir.

O médico pode encaminhar o doente para um especialista ou o próprio doente pode solicitar esse encaminhamento.

Os especialistas que tratam tumores cerebrais são os neurocirurgiões, neuro-oncologistas, oncologistas e radioterapeutas. O doente pode ser reencaminhado para outro profissional de saúde que faça parte da equipa. A equipa médica pode ser constituída por um enfermeiro, um nutricionista, um psicólogo, um assistente social, um fisioterapeuta, um terapeuta ocupacional e um terapeuta da fala. As crianças poderão necessitar de alguém que as ajude nos trabalhos escolares.

Obter uma Segunda Opinião

Antes de iniciar o tratamento, o doente pode querer uma segunda opinião relativamente ao diagnóstico e ao plano de tratamento. Existem várias formas de encontrar um médico para obter uma segunda opinião:

O seu médico pode encaminhá-la para um ou mais especialistas. Nos centros de oncologia, vários especialistas trabalham em equipa.

Preparação para o Tratamento

O médico pode descrever as opções de tratamento e discutir os resultados esperados para cada opção. O médico e o doente podem trabalhar em conjunto no desenvolvimento de um plano terapêutico adaptado às necessidades do doente.

O tratamento depende de vários factores, designadamente o tipo, localização, tamanho e grau do tumor. Em certos tipos de tumor cerebral, o médico também necessita de saber se foram identificadas células cancerígenas no líquido cefalorraquidiano.

 

Estas são algumas das questões que o doente poderá querer colocar ao médico antes de iniciar o tratamento:

  • Qual é o meu tipo de tumor?

  • Trata-se de um tumor benigno ou maligno?

  • Qual é o grau do tumor?

  • Quais são as minhas opções de tratamento? O que é que me recomenda? Porquê?

  • Que benefícios posso esperar de cada tipo de tratamento?

  • Quais são os riscos e possíveis efeitos secundários dos tratamentos?

  • Qual é o custo estimado do tratamento?

  • De que forma é que o tratamento afectará as minhas actividades normais?

  • A participação num ensaio clínico (estudo de pesquisa) poderá ter interesse para mim? Pode ajudar-me a encontrar um?

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.