O TRATAMENTO DO CANCRO DA PELE (não Melanoma)

Por vezes, durante a biópsia, é removida a totalidade do tumor. Nestes casos, pode não ser necessário mais tratamento. Caso necessite de mais tratamento, o seu médico falará consigo sobre as opções existentes.

O tratamento do cancro de pele depende do tipo de tumor, do seu estadio de evolução, do seu tamanho e da sua localização, bem como do seu estado geral de saúde e antecedentes clínicos. Na maioria dos casos, o objectivo do tratamento é remover ou destruir completamente o tumor.

Antes da consulta, é útil fazer uma lista das perguntas que quer fazer. Para ser mais fácil lembrar-se do que o médico disse, pode tomar notas ou utilizar um gravador. Alguns doentes preferem estar acompanhados por um familiar ou amigo  quando falam com o médico.

O médico pode encaminhar o doente para um especialista ou o próprio doente pode pedir-lhe que o faça. Os especialistas que tratam o cancro de pele são os dermatologistas, os cirurgiões e os radioterapeutas.

Obter uma Segunda Opinião

Antes de iniciar o tratamento, o doente pode querer ouvir uma segunda opinião acerca do diagnóstico, do estadio da doença e do plano de tratamento. Reunir os resultados dos exames médicos e preparar-se para consultar outro médico pode demorar algum tempo. Na maioria dos casos, um breve atraso não diminui a eficácia do tratamento. Para ter a certeza, deve falar com o seu médico sobre este atraso no início do tratamento. Algumas pessoas com cancro de pele necessitam de tratamento imediato.

Existem várias formas de encontrar um médico para obter uma segunda opinião:

  • O seu médico pode encaminhá-lo para um ou mais especialistas. Nos centros de oncologia, é prática comum os diferentes especialistas trabalharem em equipa.

Poderá querer colocar ao médico as seguintes questões antes de iniciar o tratamento:

  • Qual é o estadio de evolução da doença?
  • Quais são as minhas opções de tratamento? Qual é que me recomenda? Porquê?
  • Quais são os benefícios esperados para cada tipo de tratamento?
  • Quais são os riscos e os possíveis efeitos secundários de cada tratamento? O que podemos fazer para controlar os efeitos secundários?
  • O tratamento irá afectar a minha aparência? Se o tratamento afectar a minha aparência, um cirurgião plástico ou reconstrutivo pode ajudar-me?
  • De que modo o tratamento irá afectar a minha actividade normal? Em caso afirmativo, durante quanto tempo?
  • Qual é o custo estimado do tratamento? Este tratamento é comparticipado pelo meu seguro?
  • Com que frequência irei necessitar de realizar consultas de revisão?
  • Um ensaio clínico (estudo de pesquisa) será apropriado para mim?
Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.