CANCRO DA PELE (não Melanoma): QUEM ESTÁ EM RISCO

Sabemos que o cancro de pele não é contagioso, ou seja, não pode “apanhá-lo” de outra pessoa.

As investigações têm revelado que as pessoas com determinados factores de risco estão mais predispostas que outras a desenvolver cancro de pele. Um factor de risco é algo que pode aumentar a probabilidade de alguém vir a desenvolver uma doença.

Alguns estudos determinaram os seguintes factores de risco de cancro de pele:

  • Radiação ultravioleta (UV): A radiação UV vem do sol, lâmpadas ultravioleta, solários horizontais ou verticais. O risco de desenvolver cancro de pele está relacionado com a exposição a radiação UV durante a vida. A maioria dos cancros de pele aparece após os 50 anos, embora o sol comece a danificar a pele em idades mais jovens e possam surgir cancros de pele em idades jovens.
    A radiação UV afecta-nos a todos. As pessoas de pele clara que fica facilmente sardenta ou queimada apresentam um risco acrescido. Em geral, estas pessoas também têm cabelo ruivo ou louro e olhos claros. No entanto, as pessoas com tons de pele mais escuros também podem vir a sofrer de cancro de pele.
    As pessoas que vivem em zonas com alto teor de radiação UV apresentam risco acrescido de vir a sofrer de cancro de pele. As populações que vivem nas montanhas também estão expostas a níveis mais elevados de radiação UV.
    A radiação UV está presente mesmo em dias frios ou com nevoeiro.
  • Cicatrizes ou queimaduras na pele
  • Infecção por determinados vírus do papiloma humano (HPV)
  • Exposição a arsénico no local de trabalho
  • Inflamação crónica da pele ou úlceras da pele
  • Doenças que tornam a pele sensível ao sol, como xeroderma pigmentoso, albinismo e síndrome nevo basocelular
  • Radioterapia
  • Estados de saúde ou fármacos que suprimem o sistema imunitário
  • Antecedentes de um ou mais cancros de pele
  • Antecedentes familiares de cancro de pele
  • Queratose actinica: manifesta-se como pápula ou placa vermelha, com uma escama aderente, localizada nas áreas da pele cronicamente expostas ao sol, especialmente a face e as mãos. As neoplasias podem ter um aspecto rugoso e avermelhado ou apresentarem-se sob a forma de manchas castanhas na pele e fissuras ou zonas de descamação no lábio inferior que não cicatrizam.
    Sem tratamento, uma pequena percentagem destas neoplasias pavimentosas pode evoluir para carcinoma pavimentoso ou espinocelular.
  • Doença de Bowen: A doença de Bowen apresenta-se sob a forma de mancha descamativa ou espessa que pode evoluir para carcinoma espinocelular.

Se pensa que pode estar em risco de ter cancro de pele, deve falar com o seu médico, que lhe poderá sugerir formas de reduzir o risco e elaborar um calendário para a realização de consultas de vigilância.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.