Como é diagnosticada a AR?

O diagnóstico da AR pode ser um desafio. Habitualmente esta doença tem um início gradual com sintomas subtis que podem incluir: aumento de temperatura, inchaço e dor nas articulações e fadiga.

O doente deve ser avaliado por um médico com experiência e conhecimentos para diagnosticar e tratar adequadamentea doença.

Não existe um exame único para confirmar o diagnóstico; este só é definitivo quando o médico conjuga os sinais e sintomas encontrados no exame físico com o resultado dos exames de laboratório e das radiografias.

Exames laboratoriais que os médicos especialistas solicitam habitualmente:

  • Velocidade de sedimentação (VS): É um exame que mede a rapidez com que os glóbulos vermelhos descem num tubo de vidro com sangue durante uma hora. A VS é um indicador de inflamação e pode aumentar por diversas razões, entre elas a AR.
  • Proteína C reactiva (PCR): Consiste na detecção de uma proteína do sangue que é produzida no fígado e que aumenta quando há inflamação importante, como na AR. Também pode aumentar em caso de infecções, enfarte, traumatismo e outras doenças reumatológicas.
  • Factor reumatóide (FR): O FR é um auto-anticorpo (anticorpo dirigido contra o próprio organismo) que se identifica através de uma análise de sangue. Quando presente juntamente com os achados clínicos típicos, indica um possível diagnóstico de AR.

Referências Bibliográficas
Moreland LW. Rheumatoid Arthritis. A Clinical Guide. Lippinott Willians & Willians 2006 - pag 6-16.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.