Descomplicar a saúde mental
Descomplicar a saúde mental

Descomplicar a saúde mental

Descomplicar a saúde mental foi o objetivo do projeto do Instituto das Irmãs Hospitaleiras do Sagrado Coração de Jesus que em 2019 venceu uma das Bolsas de Cidadania da Roche.

A ideia surgiu da necessidade de concentrar num único website informação sobre saúde mental de forma mais “acessível e descontraída”.

O caráter mais inovador deste projeto reside em ter sido desenvolvido por pessoas com experiência de doença mental, para pessoas com experiência em doença mental.

O projeto foi participado e criado pelos grupos de auto representação, que são no fundo núcleos de utentes que representam todas as pessoas assistidas pelas Irmãs Hospitaleiras, instituição que se dedica sobretudo à área da saúde mental e psiquiatria.

“Nunca tínhamos desenvolvido um projeto que envolvesse todos os grupos de auto representação ao mesmo tempo. Conseguimos assim juntar as várias propostas desses grupos. A ideia é também dar voz a estas pessoas e divulgar informação que lhes permita ter mais poder sobre a sua própria vida e a sua representação na sociedade, refere Ana Gamelas, do gabinete de projeto do Instituto das Irmãs Hospitaleiras.

Para o Instituto, a atribuição de uma das Bolsas de Cidadania “foi um reconhecimento sobre um trabalho que tem sido desenvolvido, que é apoiar a capacitação desses grupos de auto representação de utentes”.

O sentimento é também partilhado por Andreia Monteiro, uma das pessoas envolvidas num dos grupos de auto representação:

“Foi um estímulo a estes grupos, que servem para ajudar os utentes que mais precisam e que são menos autónomos. Queremos que sejam mais autónomos e tenham mais estabilidade, que tenham uma voz mais ativa. Espero que, no future, possamos continuar a progredir e a concretizar novas ideias. As pessoas com doenças psiquiátricas não são menos capazes que os outros. Não é a doença que nos determina. Em cada um de nós há uma pessoa muito válida”.

O Instituto das Irmãs Hospitaleiras é uma IPSS com fins de saúde, existente em Portugal desde 1894. Presta cuidados de saúde em 12 estabelecimentos, assistindo em internamento e estruturas de ambulátorio. Apoia ou assiste cerca de 5.300 pessoas nos vários serviços. Conta com uma equipa de 2.300 colaboradores de diversas áreas clínicas, técnicas e de suporte, e de150 de voluntários. O trabalho desenvolvido centra-se na área da saúde mental e psiquiatria, demências, lesão cerebral, reabilitação e cuidados paliativos,

Revisitámos, assim, mais outro dos projetos galardoados em 2019 com as Bolsas de Cidadania da Roche.

Os vencedores da edição deste ano de 2020 serão conhecidos em breve. Esta 6ª edição recebeu um número 45 candidaturas, um valor recorde. Esta iniciativa da Roche visa financiar projetos e ideias de associações de doentes e outras Organizações Não Governamentais (ONG).

É uma ação que se enquadra na Política de Responsabilidade Social da empresa e resulta do seu compromisso em assumir um papel ativo na sociedade apoiando, de forma transparente, iniciativas inovadoras e orientadas para a missão de suporte ao doente.