Pós-graduação
Bolsas de Cidadania permitiram inovar e contribuir para a literacia dos mais jovens

 

Bolsas de Cidadania permitiram inovar e contribuir para a literacia dos mais jovens 

 

Revisitamos os projetos que em 2019 conquistaram as Bolsas de Cidadania Roche, iniciativa que visa financiar projetos e ideias de associações de doentes e outras Organizações Não Governamentais (ONG).

Um canal de Youtube dirigido sobretudo aos mais jovens portadores de doença inflamatória do intestino, colite ulcerosa e doença de Chron foi um dos projetos vencedores das Bolsas de Cidadania da Roche em 2019.

A APDI - Associação Portuguesa da Doença Inflamatória do Intestino tinha identificado a necessidade de fazer chegar informação credível e útil a pessoas na faixa etária entre os 15 e os 25 anos. O recurso à imagem e a canais digitais surgiu, então, como uma prioridade.

Com este projeto, a APDI conseguiu, assim, lançar o seu canal de Youtube, com vídeos informativos que são também divulgados e partilhados através de outras redes sociais.

“A Bolsa foi um pontapé de saída para a inovação e a criatividade, que às vezes é difícil de executar dentro das associações de doentes. Foi um apoio que significou muito para nós, porque foi o acreditar num projeto. Muitas vezes, o mais difícil num projeto é mesmo o seu lançamento. As Bolsas funcionaram como um ponta de lança. Foi o acreditar num projeto que contribui para a literacia em saúde, fazendo-a chegar aos mais jovens”, afirma Ana Sampaio, presidente da APDI.

Com a Bolsa, foi estruturado todo o projeto do canal, bem como idealizados, gravados e editados os cinco primeiros vídeos sobre doença inflamatória do intestino, colite ulcerosa e doença de Chron. 

O acolhimento foi francamente positivo e o êxito dos primeiros vídeos permitiu à APDI continuar com o canal, tentando agora gravar e divulgar vídeos com uma periodicidade mensal.

O canal deu também uma maior visibilidade à APDI e trouxe um incremento de público às redes sociais da associação.

“Como se chega a 20 mil doentes? Por vezes é muito difícil. Os vídeos são uma forma de difundir informação a um maior número de pessoas. Permitem chegar a todos. E chegar a todos com o mesmo tipo de informação”, refere Ana Sampaio.

Para o sucesso do projeto contribuiu a criação de conteúdos destinados a um público em concreto e com informação dirigida a uma faixa etária definida, além de permitir a doentes, familiares e cuidadores a partilha de conteúdos onde eles próprios se reveem.

Na edição deste ano das Bolsas de Cidadania, a Roche recebeu 45 candidaturas, um número recorde nos seis anos de desenvolvimento da iniciativa.

Num valor total de 60 mil euros, as Bolsas procuram fomentar a participação dos cidadãos nos processos de decisão em saúde, a informação dos doentes sobre os seus direitos, assim como a sua participação nas decisões individuais de tratamento. 

Os vencedores desta 6ª edição das Bolsas serão conhecidos e divulgados brevemente.

 

As bolsas a atribuir terão os seguintes valores:

20 mil euros (uma bolsa);

15 mil euros (uma bolsa);

10 mil euros (uma bolsa);

5 mil euros (três bolsas).