LINFOMA NÃO-HODGKIN: PERGUNTAS POSSIVEIS NO DIAGNÓSTICO

Algumas perguntas a fazer na altura do diagnóstico, antes de iniciar o tratamento

  • De que tipo de linfoma não-Hodgkin se trata? É indolente ou agressivo? Qual o seu estadio?
  • Quais são as opções terapêuticas? Caso haja mais do que uma opção, qual é que me recomenda?
  • Quais são as vantagens e desvantagens dos diversos tratamentos?
  • Qual é a probabilidade de o tratamento ser bem sucedido?
  • Quais são os riscos e possíveis efeitos secundários de cada um dos tratamentos?
  • Qual a duração de cada tratamento?
  • De que modo poderá o tratamento afectar a minha vida normal (trabalho, família, etc.)?

 

 

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda