TRATAMENTO DO LINFOMA NÃO-HODGKIN INDOLENTE

Cerca de 4 em cada 10 linfomas não-Hodgkin são indolentes e a maioria de tipo folicular, embora existam muitos outros. As opções terapêuticas para o linfoma não-Hodgkin indolente dependem em grande parte do estadio da doença e dos sintomas manifestados.

Linfoma não-Hodgkin indolente de estadio inicial
Linfoma não-Hodgkin indolente de estadio avançado sem sintomas
Linfoma não-Hodgkin indolente de estadio avançado com sintomas
Outros linfomas não-Hodgkin indolentes

Os linfomas não-Hodgkin indolentes evoluem lentamente e raramente provocam sintomas até se encontrarem numa fase razoavelmente avançada.  Por conseguinte, poucos linfomas não-Hodgkin indolentes são diagnosticados enquanto ainda se encontram no estadio I ou estadio II.

Os linfomas não-Hodgkin indolentes de estadio inicial são, de forma geral, tratados com radioterapia nos gânglios linfáticos afectados. Assim sendo, é possível que metade dos doentes atinja a cura. Nos restantes doentes, o linfoma não-Hodgkin virá a recidivar/recair, geralmente noutros gânglios linfáticos. Nessa fase, o tratamento é semelhante ao dos doentes que apresentam estadio avançado da doença (estadio III ou estadio IV).

 

 

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda