TERAPÊUTICA COM ANTICORPOS MONOCLONAIS: RECIDIVA/RECAÍDA DO LNH

Os anticorpos monoclonais, podem ser utilizados no tratamento do linfoma não-Hodgkin que recidivou/recaiu após o tratamento. Em geral, o tratamento inicial para o linfoma não-Hodgkin indolente produz remissão, que pode durar alguns anos. No entanto, quase todos os doentes vêm a apresentar recidiva/recaída e consequente recorrência do linfoma.


Têm surgido muitos dados novos que apontam para a utilidade das terapêuticas com anticorpos monoclonais no tratamento das recidivas do linfoma não-Hodgkin.

Os anticorpos monoclonais podem ser administrados isoladamente ou combinados com a quimioterapia no tratamento das recidivas/recaídas do linfoma não-Hodgkin indolente.

Quando combinados com quimioterapia, como no caso dos doentes não tratados anteriormente, são habitualmente administrados no início de cada ciclo de tratamento, imediatamente antes da quimioterapia. A combinação de anticorpos monoclonais com quimioterapia mostrou aumentar a duração da remissão.

São cada vez mais numerosos os dados que apontam para a utilidade dos anticorpos monoclonais, em combinação com quimioterapia, no tratamento do linfoma não-Hodgkin agressivo que recidivou/recaiu após quimioterapia bem sucedida. Por vezes, a sua utilização é integrada na preparação para o transplante de sangue periférico ou transplante de medula óssea.

A terapêutica de manutenção é administrada a doentes que se encontram estáveis após o tratamento bem sucedido para o linfoma não-Hodgkin, ou seja, os doentes que estão em remissão completa ou parcial. A finalidade é regular a terapêutica para aumentar a duração da remissão.

 

 

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda