LINFOMA NÃO HODGKIN: PERDA INEXPLICADA DE PESO E DE APETITE

A perda inexplicada de peso devido ao linfoma não-Hodgkin pode originar a má nutrição dos doentes levando ao aumento da sensação de cansaço e da vulnerabilidade a infecções.

A perda de apetite pode dever-se ao próprio linfoma não-Hodgkin ou ao seu tratamento. Tanto a radioterapia como a quimioterapia podem provocar náuseas e os fármacos quimioterapêuticos podem por vezes alterar o sabor dos alimentos, levando à perda de apetite.

A equipa médica pode sugerir uma consulta com um nutricionista para tentar aumentar o apetite e ajudar a recuperar o peso. O nutricionista pode recomendar suplementos alimentares, tais como bebidas energéticas que podem também ser úteis para os doentes que têm dificuldade em engolir ou com a garganta inflamada devida ao tratamento. Alguns fármacos podem ser benéficos e devem ser debatidos com o médico ou sua equipa para se avaliar se são adequados. 

É importante que o doente mantenha uma dieta equilibrada e se aconselhe junto da equipa médica ou do nutricionista, dado que nem todas as dietas são adequadas. No entanto, existem alguns ajustes que o doente pode fazer às suas refeições para as tornar mais apetitosas e, assim, aumentar de peso, designadamente: 

  • Comer refeições ligeiras frequentes, designadamente snacks, tais como biscoitos, tostas, queijo e bolachas entre as refeições
  • Se possível, evitar ser ele próprio a preparar os alimentos
  • Ingerir sobretudo alimentos frios e evitar os odores mais fortes
  • Ingerir leite e iogurtes gordos em vez de alternativas com baixo teor de gorduras
  • Ingerir mais manteiga, margarina ou óleo no pão, batatas, massa, arroz e legumes e molhos com muita maionese ou óleo nas sandes e saladas
  • Acrescentar mais queijo às pizzas, molhos, sopas e massas
  • Usar mais mel ou açúcar para adoçar os cereais, bebidas, frutas e legumes

Algumas dietas aparentemente saudáveis podem prejudicar o doente com linfoma não-Hodgkin que sofrem, por exemplo, de neutropenia (ver Baixo número de células sanguíneas) após a quimioterapia. Estes doentes devem evitar as saladas, carne mal passada ou queijo fresco, face ao risco acrescido de infecção associado a estes alimentos.

 

 

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda