LINFOMA NÃO-HODGKIN INDOLENTE: IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO

Existe tratamento para todos os tipos de linfomas não-Hodgkin. Nem sempre é possível a cura completa, embora no caso do linfoma não-Hodgkin indolente, seja viável a sua remissão ou pelo menos a diminuição do linfoma para que não cause sintomas. A remissão, ou período sem sintomas, pode durar muitos anos.

O tipo de tratamento utilizado depende de muitos factores, designadamente:

  • O tipo de linfoma não-Hodgkin
  • O estadio do linfoma não-Hodgkin
  • A localização do linfoma
  • O estado geral e a idade do doente

Embora o tratamento permita habitualmente atingir a remissão, muitos linfomas não-Hodgkin indolentes virão a recidivar/recair em dada altura, habitualmente ao fim de 1,5 a 4 anos. Alguns linfomas não-Hodgkin indolentes voltam a surgir (recidiva/recaída) de forma diferente, deixando de ser indolentes e tornando-se agressivos. Assim, é muito importante que os doentes que receberam tratamento para um linfoma não-Hodgkin indolente façam exames periódicos de rotina, tal como recomendado pelo médico ou pela equipa de especialistas, mesmo que se sintam perfeitamente bem.

 

 

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda