LINFOMA NÃO-HODGKIN INDOLENTE VERSUS AGRESSIVO

A classificação do linfoma não-Hodgkin assenta em diversos critérios bastante complexos.  Um modo simplificado, embora válido, de analisar a situação é através de duas classificações do linfoma não-Hodgkin, que possibilitam aos médicos decidir qual o tratamento a administrar aos doentes:

  • Indolente (também designado de baixo grau ou de crescimento lento)
  • Agressivo (também designado de alto grau ou de crescimento rápido)

A designação de Indolente ou Agressivo baseia-se na evolução clínica do linfoma.

No linfoma não-Hodgkin indolente, ou seja, quando o curso clínico do linfoma é lento, os doentes raramente apresentam sintomas na fase inicial, o que leva a que este não seja detectado durante algum tempo.  Mesmo após o diagnóstico, muitas pessoas podem não necessitar de tratamento imediato (por vezes durante meses ou anos).

Quando é necessário iniciar tratamento, este é quase sempre eficaz, levando à redução e/ou ao desaparecimento da doença. No entanto, é frequente a doença recidivar/recair , ou "recorrer", o que requer novo tratamento. Nos casos em que o doente apresenta um período isento de doença, este também pode ser designado por periodo de "remissão ".

Este quadro apresenta as principais diferenças entre o linfoma não-Hodgkin indolente e  agressivo

 

Linfoma Não-Hodgkin indolente

Linfoma Não-Hodgkin agressivo

Proporção

40% - 50%

50% - 60%

Evolução

Lenta

Rápida

Descrição

Frequentemente sem sintomas no diagnóstico; em muitos casos o diagnóstico pode ser feito "por acaso"

Aparecimento de sintomas antes do diagnóstico

Tratamento

Nem sempre é necessário imediatamente

Em geral requer tratamento imediato

Resultados

Responde bem ao tratamento embora possa ocorrer recidiva/recaída

Responde muito bem ao tratamento, maior probabilidade de cura

O linfoma não-Hodgkin agressivo evolui mais rapidamente.  Tende a apresentar mais sintomas do que o indolente, e requer tratamento imediato na maioria dos casos.  Embora o termo "agressivo" pareça assustador, estes linfomas tendem a responder bem ao tratamento.  Na realidade, a cura completa é mais provável do que nos linfomas não-Hodgkin indolentes. 

As formas indolente e agressiva do linfoma não-Hodgkin podem diferenciar-se pelas características das células quando analisadas ao microscópio.  Para tal, é necessário proceder à colheita de amostras do tecido linfático.  Na maioria dos doentes é efectuada uma biopsia em que se extrai parte ou a totalidade do gânglio linfático.  Noutros casos, o diagnóstico pode ser feito durante um exame médico de rotina, designadamente uma endoscopia digestiva alta - gastroscopia .

É fundamental determinar a classificação do linfoma não-Hodgkin, dado  que os tratamentos são diferentes. 

 

 

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda