Linfoma não-Hodgkin: Glossário - www.linfoma.com.pt

GLOSSÁRIO

Palavra

Definição

Abdómen

Nome anatómico da área do organismo situada entre o tórax e as virilhas, onde se encontram o estômago, os intestinos, o fígado, a vesícula, os rins, o baço e outros órgãos

ADN

Presente no núcleo das células. ADN significa Acido DesoxirriboNucleico. O ADN é constituído por longas cadeias de código genético que caracterizam todas as proteínas, e por conseguinte, a vida

Agressivo

Forma de classificação do linfoma não-Hodgkin (também designado por de alto grau ou de crescimento rápido, de acordo com a evolução clínica)

Agudo

Doença ou sintoma com início e agravamento rápido

Alopécia

Queda do cabelo/pêlos sobretudo da cabeça. Pode dever-se a tratamentos oncológicos, (quimioterapia ou radioterapia)

Analgésico

Medicamento para controle da dor.

Anemia

Doença provocada pela diminuição da hemoglobina, cujos sintomas podem ser cansaço, falta de força, tonturas, cefaleias e irritabilidade

Ann Arbor

Sistema de estadiamento para o linfoma de Hodgkin criado na Universidade de Michigan, em Ann Arbor, e, após alguns ajustes, foi adaptado em todo o mundo para o linfoma não-Hodgkin. Este destina-se a determinar a extensão da doença.

Anticorpo

Proteína produzida pelo organismo para ajudar a combater as infecções. Os anticorpos são formados nas células e fixam-se directamente a estruturas específicas existentes, por exemplo, nas células tumorais

Anticorpo monoclonal

Tipo puro e único de anticorpo. Os anticorpos monoclonais podem ser utilizados no tratamento do linfoma não-Hodgkin. Neste caso, o anticorpo monoclonal é concebido para reconhecer e fixar-se a um alvo específico superfície das células cancerosas, permitindo a sua destruição.

Anti-emético

Classe de medicamento destinado a atenuar o enjoo (náuseas e vómitos)

Antigénio

Substâncias diversas (por exemplo: proteínas existentes na superfície de bactérias, vírus ou outros organismos infecciosos, ou de células tumorais ou células estranhas ao organismo - as de um órgão transplantado) que são reconhecidas pelo sistema imunitário. O antigénio pode ser natural ou de síntese.

Aspiração de medula óssea

Extracção de uma amostra de medula óssea, geralmente do osso da anca, através de uma agulha.

Baço

Órgão que se localiza na parte superior e esquerda do abdómen, ,atrás do estômago e que faz parte do sistema imunitário

Bactéria

Grande grupo de organismos constituídos por uma única célula e que apenas se podem observar ao microscópio. Muitas bactérias podem provocar doenças nos seres humanos

Biopsia

Exame que implica a extracção de uma pequena quantidade de tecido ou de algumas células para exame ao microscópico

Biopsia de aspiração por agulha

Tipo de biopsia para extrair células de um tecido, como um gânglio linfático aumentado, através de uma agulha fina para que possam ser examinadas ao microscópio

Cancro

Grupo de doenças que se caracterizam pelo crescimento anómalo e descontrolado de células, que levam normalmente à formação de caroços ou tumores. Existem mais de 100 doenças classificadas como cancro e o seu nome depende do órgão ou tipo de células onde se desenvolve.

Cancro refractário

Cancro que deixou de responder a um tratamento específico. Nestes casos, pode administrar-se outro tratamento

Carcinogénio

Qualquer substância passível de provocar cancro.

Cateter

Tubo fino e flexível que é inserido numa veia do organismo para possibilitar a administração ou remoção de líquidos do organismo.

Célula

Unidade de construção de todos os órgãos e tecidos, incluindo o coração, os pulmões, o sangue e a pele. As células contêm o código genético (ADN), que codifica as diferentes proteínas do organismo

Célula B

Tipo de glóbulos brancos envolvidos no combate às doenças. Um dos dois principais tipos de linfócitos, as células B (ou linfócitos B), estão implicados na produção de anticorpos em resposta aos antigénios. As células B estão implicadas na maioria dos linfomas não-Hodgkin.

Célula sanguínea

Um dos três principais tipos de células presentes no sangue ? glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas.

Célula T

Tipo de glóbulo branco implicado no combate a infecções e doenças. As células T são um dos dois principais tipos de linfócitos. Em contrapartida, as células T matam directamente as células tumorais e as células infectadas por vírus

Células estaminais

Células imaturas presentes na medula óssea ou no sangue. As células estaminais têm capacidade para se transformarem em diversos tipos de células, o que pode ajudar a regenerar o sistema imunitário após uma doença ou a administração de quimioterapia.

Ciclo de tratamento

Sequência completa de determinada terapêutica, frequentemente repetida. Por exemplo, o tratamento completo de quimioterapia pode implicar seis ciclos

Citotóxico

Palavra utilizada para descrever químicos que matam as células, p.ex. a quimioterapia é um medicamento citotóxico.

Consentimento informado

Requisito ético e legal em que o doente autoriza que lhe seja efectuado um tratamento ou procedimento médico depois de lhe terem sido explicados os potenciais riscos e benefícios

Contagem de glóbulos brancos

Teste usado para contar o número de glóbulos brancos que o doente apresenta no sangue

Contagem de glóbulos vermelhos

Teste utilizado para contar o número de glóbulos vermelhos que o doente apresenta no sangue

Corticosteróide

Fármacos utilizados no tratamento da inflamação grave. Os corticosteróides podem ser administrados isoladamente ou com quimioterapia no tratamento do linfoma não-Hodgkin. Os corticosteróides podem também ajudar a prevenir as náuseas ou reacções alérgicas a certos fármacos

Crónico

Doença ou afecção que se mantém, evolui ou progride durante um período prolongado

Cura

No tratamento de doenças como o linfoma não-Hodgkin, a cura significa que não foram detectados indicadores da presença de doença no organismo e que passou tempo suficiente para que a probabilidade de recorrência seja muito pequena

Diafragma

Músculo que se localiza por baixo dos pulmões, que separa o tórax do abdómen e ajuda as pessoas a respirar. Pelo facto de este músculo separar o tórax do abdómen é utilizado como ponto de diferenciação no estadiamento dos linfomas.

Doença estável

Linfoma não-Hodgkin cuja gravidade não está a diminuir nem a aumentar. A doença apresenta-se estabilizada.

Doença residual

Células cancerosas que permaneceram no organismo após terem sido feitas tentativas para combater ou tratar a doença

Doença residual mínima

Situação em que poucas células cancerígenas permanecem no organismo após terem sido feitas tentativas para combater ou tratar a doença. São difíceis de detectar com equipamentos convencionais

Ecografia

Técnica de imagem que utiliza ondas de som para detectar estruturas orgânicas. Os efeitos das ondas de som são convertidos numa imagem. As ondas de som não são detectadas pelo ouvido humano

Efeito secundário

Efeito indesejado de um fármaco ou medicação que ocorre em paralelo com o efeito desejado do tratamento de uma doença. Exemplos: no linfoma não-Hodgkin podem ocorrer queda do cabelo e náuseas como resultado da quimioterapia

Eficácia

Eficiência ou capacidade de um tratamento produzir o efeito desejado

Enfermeiro

Profissional de enfermagem Num serviço de Hematologia (onde se tratam os linfomas), o enfermeiro será, provavelmente, o principal elemento de contacto com o doente

Ensaio clínico

Estudo de investigação que avalia novas formas de prevenir, diagnosticar ou, mais frequentemente, tratar uma doença. Num ensaio clínico (estudo) a segurança e a saúde dos doentes são prioritárias. Os ensaios clínicos no linfoma não-Hodgkin comparam muitas vezes um tratamento novo com uma terapêutica convencional com eficácia comprovada.

Ensaio clínico aleatorizado

Atribuição aleatória do tratamento a administrar aos doentes que participam num ensaio clínico. Significa que não se escolhe o tratamento atribuído a cada doente e que esta atribuição é feita ao ?acaso? (como acontece quando se deita ?moeda ao ar?), o que permite uma melhor comparação estatística dos resultados

Espécimen de biopsia

Amostra de células extraída do organismo durante uma biopsia para se determinar a presença de uma doença

Esplenectomia

Cirurgia para extrair o baço. Ocasionalmente efectuada, por exemplo, quando o linfoma não-Hodgkin invadiu o baço

Estadio

Um dos principais métodos para caracterizar o linfoma não-Hodgkin. É uma forma de descrever a extensão da doença, incluindo o número de grupos de gânglios linfáticos afectados, se o linfoma se restringe aos gânglios linfáticos ou se já invadiu outros órgãos, e se o linfoma atravessou o diafragma. O estadiamento pode ser utilizado para descrever a presença de determinados sintomas, como os sintomas B

Follicular Lymphoma International Prognostic Index (FLIPI)

Análise de cinco factores para determinar o modo como os doentes com linfoma não-Hodgkin indolente responderão ao tratamento e qual a probabilidade de recidiva.

Gânglio linfático

Em forma de feijão, situam-se ao longo de um vaso linfático, e contêm linfócitos. Os gânglios linfáticos funcionam como filtros de resíduos e de organismos infecciosos.

Genes

Sequências de ADN que contêm o 'código' das proteínas fabricadas pelo organismo. Quando danificados, os genes podem provocar doenças por produzirem proteínas disfuncionais ou em quantidade superior ou inferior ao normal

Glóbulo branco

Tipo de célula sanguínea também envolvida no sistema imunitário. Os linfócitos são uma forma de glóbulo branco

Glóbulo vermelho

Glóbulo vermelho ou eritrócito. Tipo de célula sanguínea que contem hemoglobina, responsável pelo transporte de oxigénio

Grau

Uma das formas de caracterizar o linfoma não-Hodgkin

Grupo de apoio

Grupo de pessoas que se reúnem para partilhar as suas experiências de uma doença, como o linfoma não-Hodgkin. Muitas vezes organizados por hospitais, ajudam as pessoas a lidar com o impacto de uma doença nas suas vidas

Hematologista

Médico especializado no estudo e tratamento de doenças do sangue e da medula óssea.

Hemograma

Exame de rotina utilizado para determinar o número de glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas no sangue. Pode ajudar os médicos a determinar se o doente pode receber com segurança determinado tratamento ou vigiar a resposta ao tratamento.

Imunossupressão

Quando o sistema imunitário está debilitado e não consegue reagir adequadamente a agentes estranhos ao organismo. Pode dever-se, por exemplo, a organismos que atacam o sistema imunitário, como o HIV, ou fármacos utilizados após o transplante de órgãos ou na quimioterapia

Imunoterapia

Prevenção ou tratamento de uma doença com agentes que podem modificar o sistema imunitário, p.ex. anticorpos monoclonais.

Incidência

Número de novos casos de uma doença reportados numa população, ao longo de determinado período de tempo, geralmente 1 ano. Os dados sobre a incidência de cancro são mantidos em bases regionais e nacionais

Indolente

Uma das formas de classificar os linfoma não-Hodgkin (também designado por baixo grau ou crescimento lento) consoante a evolução clínica.

Injecção intravenosa

Administração na veia, de um líquido, geralmente um fármaco, por meio de uma seringa ou um cateter

International Prognostic Index (IPI)

Cinco factores que determinam o modo como um doente com linfoma não-Hodgkin agressivo responderá ao tratamento e qual a probabilidade de recidiva.

Leucemia

Cancro de células no sangue. Inclui leucócitos, ou glóbulos brancos e medula óssea onde cresce e se desenvolve

Linfa

Líquido que circula nos vasos linfáticos, contendo linfócitos, gordura e outras substâncias

Linfócito

Tipo de glóbulo branco implicado no combate às infecções e doenças. Existem dois tipos de linfócitos ? células B e T ? e ambos estão implicados no sistema imunitário

Linfoma

Cancro das células do sistema linfático, designadamente o linfoma de Hodgkin e o linfoma não-Hodgkin.

Linfoma de Burkitt

Tipo de linfoma não-Hodgkin altamente agressivo que ocorre mais frequente em jovens.

Linfoma de células do manto

Tipo relativamente raro mas agressivo de linfoma não-Hodgkin que envolve as células B

Linfoma de Hodgkin

Doença maligna dos gânglios linfáticos caracterizada por aumento indolor dos tecidos linfáticos. Mais frequente em pessoas com idades compreendidas entre os 15 e os 35 anos. Também conhecida como doença de Hodgkin

Linfoma difuso de grandes células B

Tipo de linfoma em que os gânglios linfáticos apresentam uma estrutura celular anómala quando observados ao microscópio.. Subtipo mais frequente dos linfomas agressivos

Linfoma folicular

Tipo de linfoma indolente em que se observam folículos anómalos ao microscópio. Os linfomas foliculares são habitualmente de crescimento lento. Este é o subtipo mais frequente dos linfomas indolentes.

Linfoma MALT

Tipo de linfoma não-Hodgkin que afecta certos órgãos, sobretudo o estômago, embora também se possa desenvolver nas glândulas salivares, tiróide e pulmões

Linfoma não-Hodgkin

Cancro dos linfócitos, tipo de glóbulos brancos. O linfoma não-Hodgkin é um dos dois principais grupos de linfomas (sendo o outro o linfoma de Hodgkin). Existem muitas formas de linfoma não-Hodgkin, a maioria das quais envolve as células B. Também é conhecido como linfoma não-Hodgkin ou LNH

Linha central ou 'Hickman'

Tipo especial de cateter que é inserido numa grande veia, como as que se encontram na parte superior do tórax. Este cateter permanece durante o tempo necessário para possibilitar a administração de tratamentos e a colheita de amostras. A existência destes cateres permite que os doentes não necessitem de ser picados repetidamente..

Mediastino

Área do tórax onde se encontra o coração, a traqueia, os gânglios linfáticos e outras estruturas. O mediastino situa-se entre os pulmões, o esterno e a coluna.

Medula óssea

Tecido mole que se encontra no interior dos ossos, onde as células sanguíneas são fabricadas e amadurecem antes de entrarem na circulação sanguínea.

Morbilidade

Número de doentes afectados por determinada doença, geralmente calculado por 100.000 pessoas

Mortalidade

Número de mortes em pessoas diagnosticadas com determinada doença num dado período de tempo

Náuseas

Sentir-se nauseado, enjoado ou com vontade de vomitar. Os doentes com linfoma não-Hodgkin podem manifestar náuseas durante a quimioterapia ou radioterapia, que podem ser aliviadas com anti-eméticos

Observar e esperar

Abordagem terapêutica de uma doença em que não é administrado tratamento activo embora os doentes sejam regularmente observados em regime ambulatório

Oncologista

Médico especializado no estudo e tratamento do cancro

Paliativo

Tratamento que visa atenuar os sintomas dos doentes; não se destina a curar a doença

Patologista

Médico que analisa as amostras de tecido no laboratório

Perfusão

Administrar um líquido, geralmente contendo um fármaco, numa veia através de um cateter, .

Placebo

Produto ou tratamento sem efeito terapêutico. É administrado a alguns doentes em ensaios clínicos para possibilitar a comparação com doentes que recebem o produto ou tratamento em estudo e avaliar a sua eficácia. Não se utiliza nos ensaios clínicos em oncologia

Plaqueta

Tipo de célula sanguínea que desempenha um papel central na coagulação do sangue (também denominada trombócito)

Plasma

A porção líquida, límpida e de cor amarelada do sangue, na qual as células sanguíneas circulam no organismo. Contém uma elevada quantidade de proteínas, açúcar e nutrientes

Prevalência

Número de casos de uma doença, existentes na população em dado momento. À semelhança da incidência, os dados sobre a prevalência de cancro são mantidos numa base regional ou nacional

Prognóstico

Resultado provável de uma doença, com base, entre outros factores, nos sintomas do doente, na duração da doença e na sua idade

Progressão da doença

Quando o cancro continua a crescer ou a disseminar-se.

Proteína

Grande família de moléculas que formam um importante bloco de construção do organismo humano. Os anticorpos são uma forma de proteína.

Prurido

Também conhecido como comichão, pode ser um sintoma do linfoma não-Hodgkin, assim como de outras doenças, designadamente reacções alérgicas à quimioterapia ou à imunoterapia

Punção lombar

Procedimento simples para extrair uma pequena quantidade do líquido que envolve a medula espinal, geralmente através da inserção de uma pequena agulha na coluna lombar

Qualidade de vida

Satisfação global com a vida, manifestada por um doente. Independente dos sintomas manifestados pelo doente, é medida nalguns ensaios clínicos para avaliar o impacto da doença e do seu tratamento na vida quotidiana

Quimioterapia

Quimioterapia significa literalmente tratamento com fármacos, embora seja sobretudo usada para indicar um tratamento com fármacos anti-cancerosos ou 'citotóxicos'. O objectivo da quimioterapia no linfoma não-Hodgkin é matar as células de linfoma que se desenvolvem no organismo.

Quimioterapia combinada

Uso simultâneo de mais do que um fármaco para quimioterapia num tratamento, para aumentara probabilidade de sucesso.

Radiografia

Exame de diagnóstico que utiliza feixes de radiação para criar uma imagem dos órgãos e ossos. Pode ser utilizado para detectar tumores

Radioimunoterapia

Tratamento em que um átomo radioactivo é ligado a um anticorpo monoclonal que se fixa especificamente às células cancerosas. A radioactividade mata as células adjacentes

Radioterapeuta

Médico especialista na área do cancro que planeia os tratamentos de radioterapia. É uma das formas de tratar o linfoma não-Hodgkin

Radioterapia

Tratamento de uma doença com feixes de radiação, como raios X, raios beta ou raios gama

Recidiva

Quando se observam sinais ou sintomas associados ao crescimento do tumor após um período isento da doença ou de remissão

Recorrência

Reaparecimento de um cancro, como o linfoma não-Hodgkin, após um período isento da doença ou de remissão

Regime

Combinação de fármacos utilizados para tratar uma doença e a forma e frequência da administração

Regressão

Diminuição dos sintomas manifestados por um doente ou abrandamento da progressão de uma doença

Remissão

Período isento da doença após tratamento bem sucedido, quando os doentes deixam de manifestar sintomas. À remissão pode seguir-se uma recidiva ou, se esta não ocorrer durante um período de tempo significativo, pode dar-se a cura

Remissão parcial

Diminuição, sem desaparecimento completo, de gânglios linfáticos aumentados em resposta ao tratamento. Também denominada resposta parcial

Resposta

Avaliação do efeito de um tratamento numa doença. Os tipos possíveis de resposta são: resposta completa (RC), resposta completa não confirmada (RCnc), resposta parcial (RP), doença estável (DE) e progressão da doença (PD)

Resposta completa

Quando todos os sinais do linfoma não-Hodgkin desapareceram e o doente pode entrar em remissão ou ficar curado.

Resposta imunitária

Nível de actividade do sistema imunitário contra uma doença ou um objecto estranho

Ressonância magnética (RM)

Forma de obter imagens claras dos tecidos orgânicos utilizando fortes campos magnéticos. A RM pode mostrar um corte transversal do organismo (como uma TAC) e fatias longitudinais. Permite ver claramente o cérebro, a espinal medula, as articulações e o abdómen. Em geral, a realização da RM demora cerca de 40 minutos. Algumas pessoas sentem claustrofobia durante o exame embora estejam sempre em contacto com o radiologista.

Sinal

Qualquer evidência da presença de uma perturbação ou doença detectada por um profissional de saúde embora não necessariamente óbvia para um doente. Por exemplo, uma alteração observada numa radiografia ou durante um exame médico

Sintoma

Sensação ou alteração sentida por um doente, relacionada com uma doença

Sintomas B

São utilizados três sintomas do linfoma não-Hodgkin para determinar o estadio da doença. Os sintomas B consistem em febre, suores nocturnos e perda inexplicada de peso > 10%. Não existem sintomas A ou C.

Sistema imunitário

Sistema que defende o organismo de infecções e alguns tipos de doenças, designadamente o cancro. Consiste em células que reagem de forma genérica a substâncias ou organismos estranhos que entram no organismo e de células que podem produzir uma resposta mais específica a um organismo estranho ou a uma célula danificada

Sistema linfático

Parte do sistema imunitário. O sistema inclui os vasos linfáticos, através dos quais a linfa circula, os gânglios linfáticos e outros órgãos, como o baço e o timo

Sistémico

Uma doença sistémica pode afectar todo o organismo. O linfoma é uma doença sistémica porque os glóbulos brancos circulam no organismo e no sistema linfático, daí que não sejam apenas afectadas as glândulas linfáticas

Sobrevida ao fim de 1 ano

Percentagem de doentes que sobrevivem durante 1 ano após terem recebido determinado tratamento para uma doença

Sobrevida mediana

Período médio de tempo após o diagnóstico ou o tratamento em que metade dos doentes com determinada doença ainda estão vivos

Suores nocturnos

Sudação excessiva durante a noite. Embora possam dever-se a outras situações, os suores nocturnos são um dos ?sintomas 'B do linfoma não-Hodgkin

Suplementos alimentares

Vitaminas e minerais que podem contribuir para o funcionamento normal do organismo. São geralmente desnecessárias se o doente mantiver uma dieta equilibrada

Tempo até à progressão

Período de tempo necessário para a gravidade de determinada doença aumentar, geralmente após o doente ter sido tratado

Terapêutica com anticorpos

Tratamento de uma doença com anticorpos, concebido para atingir células específicas que provocam a doença. No tratamento oncológico, a terapêutica com anticorpos visa matar as células tumorais sem danificar outras células ou ajudar o sistema imunitário a combater um tumor.

Terapêutica com doses elevadas

Quimioterapia e/ou radioterapia administrada em doses mais elevadas do que o normal.

Terapêutica de manutenção

Terapêutica indicada para os doentes em remissão, em que o medicamento é administrado durante um extenso período para tentar prolongar a remissão

Terapêutica alternativa

Terapêuticas baseadas numa teoria da doença diferente da ciência médica clássica que é ensinada em escolas médicas orientais; exemplos: homeopatia, acupunctura, uso de ervas medicinais e técnicas quiropráticas (também denominada terapia complementar)

Terminal

Estadio de uma doença que indica que o doente tem uma curta esperança de vida

Teste à LDH

Teste simples para medir a quantidade de uma enzima denominada lactatodesidrogenase (LDH) no sangue. No linfoma não-Hodgkin, o resultado deste teste pode indicar a actividade da doença e a sua disseminação no organismo.

Testes de função hepática

Teste relativamente simples para medir diversas substâncias no sangue e que avalia o funcionamento do fígado

Testes de função renal

Exames simples ao sangue e à urina para medir diversas substâncias e se avaliar o funcionamento dos rins

Timo

Órgão localizado na parte superior do tórax que faz parte do sistema imunitário

Tomografia axial computorizada ou TAC

Ver Tomografia computorizada

Tomografia computorizada ou TAC

Tipo de radiografia que produz diversas imagens tiradas em diferentes camadas do organismo para adquirir um formato tridimensional

Tomografia por emissão de positrões (PET)

Exame que detecta a radioactividade em circulação no organismo após injecção intravenosa, no braço, de uma pequena quantidade de glucose radioactiva (inofensiva). Como as células de linfoma absorvem grandes quantidades de glucose, é possível identificar a localização dos linfomas.

Tórax

Área do corpo acima do diafragma e por baixo do pescoço, onde se encontram os pulmões, o coração e outros órgãos

Toxicidade

Nível dos danos causados pelos efeitos secundários de um dado tratamento

Transplante alogénico

Quando as células utilizadas para substituir os tecidos danificados do doente (neste caso a medula óssea) provêm de um dador compatível (um familiar, geralmente um irmão ou irmã, ou um não-familiar).

Transplante autólogo

Quando as células saudáveis implantadas no doente após o tratamento com doses elevadas de quimioterapia (para o tratamento do linfoma) provêm do próprio doente.

Transplante de células estaminais de sangue periférico (PBST, PBSCT)

Forma de transplante em que as células são extraídas do sangue após terem sido ?mobilizadas? a partir da medula óssea. Depois da administração de doses elevadas de quimioterapia faz-se a implantação (transplante) das células estaminais conservadas. Este procedimento tem vindo a substituir o transplante de medula óssea. O PBSCT (periferic blood stem cell transplantation) pode ser alogénico ou autólogo

Transplante de medula óssea (BMT)

Procedimento em que células saudáveis são retiradas da medula óssea e transplantadas no doente após a administração de doses elevadas de quimioterapia ou de radioterapia. As células saudáveis transplantadas restauram a medula destruída pelo tratamento.

Tumor

Aglomerado de células que se reproduziram mais rapidamente do que deviam (células tumorais)

Tumor maligno

Tumor canceroso, que pode invadir outras partes do organismo.

Vacina

Composto concebido para provocar uma resposta do sistema imunitário a uma doença ou tumor

Vasos linfáticos

Vasos onde um líquido chamado linfa circula

Virilha

Área do corpo por baixo do abdómen e acima das pernas. Faz parte da zona onde se encontram os órgãos sexuais e as ancas





Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso.

As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.

 

Termos Legais | Política de Privacidade | Glossário

© Todos os direitos reservados Roche Farmacêutica Química Lda