Mieloma Múltiplo: Informação sobre o Mieloma Múltiplo no infoCancro
infoCancro - Tudo sobre cancro
Roche

O QUE É O MIELOMA MÚLTIPLO?

O mieloma múltiplo é um cancro que tem origem nas células plasmáticas, um tipo de glóbulos brancos. Para compreender o mieloma múltiplo, será vantajoso conhecer as células sanguíneas normais.

CÉLULAS SANGUÍNEAS NORMAIS

A maior parte das células sanguíneas desenvolve-se a partir de células da medula óssea denominadas células estaminais. A medula óssea é um material gelatinoso que existe no interior dos ossos.

As células estaminais dividem-se em diferentes tipos de células sanguíneas. Cada um dos tipos tem uma função específica:

                • Os glóbulos brancos ajudam a combater as infecções. Existem vários tipos de glóbulos brancos.
                • Os glóbulos vermelhos transportam o oxigénio para os tecidos do organismo.
                • As plaquetas ajudam a formar coágulos de sangue que controlam as hemorragias.

As células plasmáticas são glóbulos brancos que produzem anticorpos. Os anticorpos fazem parte do sistema imunitário. Trabalham em conjunto com outras partes do sistema imunitário para ajudar a proteger o organismo contra elementos "estranhos" (por exemplo, bactérias que invadiram o organismo) e outras substâncias nocivas. Cada tipo de célula plasmática dá origem a um anticorpo diferente.

As células plasmáticas normais ajudam a proteger o organismo de germes e de outras substâncias nocivas.

CÉLULAS DE MIELOMA

O mieloma, à semelhança dos outros cancros, tem origem nas células, a unidade básica do organismo. Normalmente, as células crescem e dividem-se para formar novas células à medida que o organismo delas necessita. Quando as células envelhecem, morrem e são substituídas por novas células. No cancro, este processo ocorre de forma desordenada e as células continuam a dividir-se mesmo quando não são necessárias. Assim formam-se novas células sem que o organismo delas necessite, e sem que as células envelhecidas morram quando deviam. Este excesso de células pode dar origem à formação de uma massa de tecido a que se dá o nome de neoplasia ou tumor.

O mieloma desenvolve-se quando uma célula plasmática se torna anómala. As células anómalas dividem-se para formar cópias de si próprias. As novas células dividem-se uma e outra vez, produzindo mais e mais células anómalas. As células plasmáticas anómalas são as células do mieloma. Estas células produzem anticorpos designados por proteínas monoclonais (M).

Com o tempo, as células de mieloma acumulam-se na medula óssea impedindo o desenvolvimento normal das células sanguíneas. As células de mieloma também se acumulam na parte sólida do osso. A doença é designada por “mieloma múltiplo” uma vez que afecta múltiplos ossos. (Se as células do mieloma apenas se acumularem num osso, essa “massa única” recebe o nome de plasmacitoma.)

As células de mieloma (células plasmáticas anómalas) produzem proteínas monoclonais.

O mieloma múltiplo é o tipo mais comum de tumor das células plasmáticas. Nesta secção não são abordados outros tipos de tumores das células plasmáticas.

  • O mieloma múltiplo não é um carcinoma dos ossos.
  • Apesar de afectar os ossos, mieloma múltiplo tem origem nas células sanguíneas e não nas células do osso.
  • O cancro ósseo é uma doença diferente. Tem origem nas células ósseas e não nas células sanguíneas.
  • O cancro ósseo é diagnosticado e tratado de forma diferente do mieloma múltiplo.



Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.