Cancro do Rim: Glossário no infoCancro
infoCancro - Tudo sobre cancro
Roche

CANCRO DO RIM: GLOSSÁRIO

Abdómen: A parte do corpo onde se encontra localizado o pâncreas, estômago, intestinos, fígado, vesícula biliar e outros órgãos.
Adenocarcinoma: Cancro que tem origem em células que revestem determinados órgãos internos e que têm propriedades secretoras formando glândulas.
Amianto: Um material natural que é constituído por fibras minúsculas que pode provocar várias doenças graves, inclusive cancro.
Aparelho Urinário: Os órgãos do corpo que produzem e eliminam a urina. Este inclui os rins, os ureteres, a bexiga e a uretra.
Artéria renal: O principal vaso sanguíneo que fornece sangue aos rins.
Bacinete: A área no centro do rim. A urina acumula-se aqui e é canalizada para o uretero, o tubo que liga o rim à bexiga.
Benigno: Não cancerígeno. Os tumores benignos não invadem tecidos adjacentes nem se disseminam para outras partes do corpo.
Bexiga: O órgão que armazena a urina.
Biópsia: Colheita de células ou de tecidos para análise por microscopia. Quando apenas é recolhida uma amostra de tecido, o procedimento é designado por biópsia incisional ou punção-biópsia. Quando se remove o tumor ou a lesão na totalidade, o procedimento tem o nome de biópsia excisional. Quando se retira uma amostra de tecido ou de líquido com uma agulha, o procedimento é designado por biópsia aspirativa ou aspiração por agulha fina.
Cádmio: Um elemento metálico que existe naturalmente em quantidades mínimas no ar, água, solo e alimentos. É utilizado no fabrico de baterias, pigmentos, plásticos, ligas metálicas e na galvanização. Em níveis elevados, o cádmio pode provocar determinados cancros e outros problemas de saúde.
Cancro das células renais: Cancro que se desenvolveu no revestimento dos túbulos renais, que filtram o sangue e produzem urina.
Cancro recorrente: Cancro que recidivou após um período de tempo durante o qual o cancro não conseguia ser detectado. O cancro pode recidivar no mesmo local que o tumor original (primário) ou noutro local.
Cancro: Termo utilizado para designar doenças em que células anómalas se dividem sem controlo. As células tumorais podem invadir os tecidos adjacentes e podem disseminar-se através da corrente sanguínea e do sistema linfático para outras partes do corpo.
Carcinoma de células de transição: Um tipo de cancro que se desenvolve no revestimento da bexiga, uréter ou pélvis renal.
Catéter: Tubo flexível utilizado para introduzir ou retirar líquidos do corpo.
Célula: A unidade individual que constitui todos os tecidos do corpo. Todas as coisas vivas são constituídas por uma ou mais células.
Células germinais: Células a partir das quais, outros tipos de células se podem desenvolver.
Cirurgia: Um procedimento para remover ou tratar uma parte do corpo ou para descobrir se existe a doença. Uma operação.
Cirurgião: Médico que remove ou trata uma parte do corpo, operando o doente.
Creatinina: Um composto que é excretado do corpo na urina. Os níveis de creatinina são medidos para avaliar a função renal.
Cuidados de Suporte: Cuidados que previnem ou aliviam os sintomas de doença ou os efeitos secundários do tratamento. Os cuidados de suporte não curam uma doença mas podem melhorar a qualidade de vida do doente. Tentam ir de encontro às necessidades físicas, emocionais, espirituais e práticas dos doentes ajudando-os a aliviar a dor, a depressão ou outros problemas. Também chamados cuidados de conforto, cuidados paliativos e gestão dos sintomas.
Cuidados Paliativos: Cuidados que previnem ou aliviam os sintomas de doença ou os efeitos secundários do tratamento. Os cuidados paliativos não curam uma doença mas podem melhorar a qualidade de vida do doente. Tentam ir de encontro às necessidades físicas, emocionais, espirituais e práticas dos doentes ajudando-os a aliviar a dor, a depressão ou outros problemas. Também chamados cuidados de conforto, cuidados de suporte e gestão dos sintomas.
Diálise: O processo de purificação do sangue quando os rins não têm capacidade de filtrar o sangue.
Efeitos secundários: Complicações que ocorrem quando o tratamento afecta tecidos e órgãos além dos que se pretendem atingir com o tratamento. Alguns efeitos secundários comuns do tratamento do cancro são: fadiga, dor, náuseas, vómitos, diminuição da contagem de células sanguíneas, queda de cabelo e lesões na boca.
Embolização arterial: O bloqueio de uma artéria por um coágulo ou material estranho. Pode ser realizado como tratamento para bloquear o fluxo sanguíneo para um tumor.
Ensaio clínico: Um tipo de estudo de pesquisa que testa novos métodos de monitorização, prevenção, diagnóstico ou tratamento de uma doença. O estudo pode ser realizado nos hospitais ou noutras instalações médicas. Também designado por estudo clínico.
Estadio da doença: Realização de exames e análises para determinar a extensão do cancro no interior do corpo, especialmente se a doença se disseminou do local inicial para outras partes do corpo. É importante saber o estadio de evolução da doença de modo a definir o melhor plano de tratamento.
Estadio: A extensão de um cancro no interior do corpo. Se o cancro estiver disseminado, o estadio descreve até que outras partes do corpo se disseminou partindo do local original.
Factor de risco: É algo que aumenta a possibilidade de alguém vir a desenvolver uma doença. Alguns exemplos de factores de risco para o cancro incluem antecedentes familiares de cancro, tabagismo, determinados alimentos, exposição a radiação ou agentes carcinogénicos e algumas alterações genéticas.
Fáscia de Gerota: O tecido fibroso que rodeia o rim. Também designada por fáscia renal.
Fibroso: Que contém ou é parecido com fibras.
Gânglio linfático: É uma massa arredondada de tecido linfático que é rodeada por uma cápsula de tecido conjuntivo. Os gânglios linfáticos filtram a linfa (líquido linfático) e armazenam linfócitos (glóbulos brancos). Estão localizados ao longo dos vasos linfáticos. Também é designado por glândula linfática.
Gene: É a unidade funcional e física da hereditariedade transmitida dos progenitores para a descendência. Os genes são fragmentos do ADN, e a maioria dos genes contém a informação para a síntese de uma proteína específica.
Gestão dos sintomas: Cuidados que previnem ou aliviam os sintomas da doença ou os efeitos secundários do tratamento. A gestão dos sintomas não cura uma doença mas podem melhorar a qualidade de vida do doente. Tenta ir de encontro às necessidades físicas, emocionais, espirituais e práticas dos doentes ajudando-os a aliviar a dor, a depressão ou outros problemas. Também chamada cuidados paliativos, cuidados de conforto e cuidados de suporte.
Glândulas supra-renais: Um par de pequenas glândulas, localizadas na zona superior de cada rim. Produzem hormonas esteróides, adrenalina e noradrenalina, que ajudam a controlar o batimento cardíaco, a tensão arterial e outras funções corporais importantes.
Glóbulos vermelhos: GV. Uma célula que transporta oxigénio para todas as partes do corpo. Também designada por eritrócito.
Hipernefroma: Cancro do Rim.
Imagiologia por ressonância magnética: IRM. Procedimento em que é utilizado um íman ligado a um computador para obter imagens detalhadas de determinadas zonas no interior do corpo. Também designado por imagiologia por ressonância magnética nuclear (IRMN).
Imagiologia: Exames que originam imagens de áreas dentro do corpo.
Maligno: Cancro; um tumor com tendência a invadir e destruir tecidos adjacentes e a disseminar-se para outras partes do corpo.
Metástase: Disseminação do cancro de uma parte do corpo para outra. Um tumor formado a partir de células que se disseminaram é designado por "tumor metastático" ou uma "metástase". O tumor metastático contém células idênticas às do tumor original (tumor primário). O plural de metástase é metástases.
Nefrectomia parcial: Cirurgia para remover um tumor mas não a totalidade do rim.
Nefrectomia radical: Cirurgia para remover o rim na sua totalidade, a glândula supra-renal e outros tecidos adjacentes. Por vezes, os gânglios linfáticos adjacentes também são removidos.
Nefrectomia simples: Cirurgia que remove o rim na sua totalidade, mas não remove órgãos nem tecidos adjacentes.
Nefrectomia: Cirurgia para remover um rim. A nefrectomia radical remove o rim na sua totalidade, a glândula supra-renal, gânglios linfáticos adjacentes e algum tecido adjacente ao rim. Uma nefrectomia simples remove apenas o rim. Uma nefrectomia parcial remove o tumor mas não a totalidade do rim.
Obesidade: Uma quantidade altamente anormal e prejudicial de tecido adiposo.
Oncologista (médico): É um médico que se especializou no diagnóstico e tratamento do cancro recorrendo à quimioterapia, terapêutica hormonal e terapêutica  biológica. Um médico oncologista é, regra geral, o médico principal que trata alguém que tem cancro. Um médico oncologista pode também coordenar o tratamento definido por outros especialistas.
Órgão: Uma parte do corpo que desempenha uma função específica. Por exemplo, o coração é um órgão.
Patologista: Médico que identifica doenças por estudo microscópico de células e tecidos.
Quimioterapia: Tratamento com fármacos anti-neoplásicos.
Quisto: Uma bolsa ou cápsula cheia com líquido.
Radioterapeuta: Um médico especializado na utilização de radiação para tratar o cancro.
Radioterapia: Utilização de radiação de alta energia de raios-X, raios gama, neutrões e outras fontes para matar células neoplásicas e reduzir o tamanho dos tumores. A radiação pode ser emitida por um aparelho exterior ao corpo (radioterapia externa) ou pode ser emitida a partir de material radioactivo colocado no corpo numa área próxima das células neoplásicas (terapia por radiação interna, radiação por implante ou braquiterapia). A terapia por radiação sistémica utiliza uma substância radioactiva, como o anticorpo monoclonal marcado com radioactividade, que circula ao longo do corpo. Também denominada terapia por radiação.
Raio X: Um tipo de radiação de alta energia. Em doses baixas, os raios X são utilizados para diagnosticar doenças por aquisição de imagens do interior do corpo. Em doses elevadas, os raios X são utilizados para tratar o cancro.
Rins: Um par de órgãos no abdómen. Removem os resíduos do sangue (na forma de urina), produzem eritropoetina (uma substância que estimula a produção de glóbulos vermelhos) e tem um papel fundamental na regulação da tensão arterial.
Sangue: Um tecido com glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plaquetas e outras substâncias suspensas num líquido designado por plasma. O sangue transporta oxigénio e nutrientes para os tecidos e transporta os resíduos.
Síndrome de Von Hippel-Lindau: Uma doença rara e hereditária na qual os vasos sanguíneos crescem de modo anormal nos olhos, cérebro, medula espinhal, glândulas supra-renais ou outras partes do corpo. As pessoas com a síndrome de von Hippel-Lindau têm um risco acrescido de desenvolver alguns tipos de cancro.
Sintoma: Uma indicação de que uma pessoa está doente. Alguns exemplos de sintomas são dor de cabeça, febre, fadiga, náuseas, vómitos e dor.
Sistema imunitário: O complexo grupo de órgãos e de células que defendem o organismo contra infecções e outras doenças.
Sistema linfático: Os tecidos e órgãos que produzem, armazenam e transportam os glóbulos brancos que combatem as infecções e outras doenças. Este sistema inclui a medula óssea, o baço, o timo, gânglios linfáticos e vasos linfáticos (uma rede de capilares finos que transportam a linfa e os glóbulos brancos). Os vasos linfáticos ramificam-se, à semelhança dos vasos sanguíneos, para todos os tecidos do corpo.
Sonografia: Uma imagem de computador de áreas do interior do corpo produzidas quando ondas sonoras de alta-frequência são reflectidas pelos órgãos e outros tecidos. Também designado por ultra-sonografia ou ultrasons.
TAC: Tomografia axial computorizada. Sequência de imagens detalhadas de áreas no interior do corpo obtidas a partir de diferentes ângulos; as imagens são obtidas por um computador ligado a um aparelho de raios-X. Também designada por tomografia computorizada e tomografia axial computorizada.
Tecido: Um grupo ou camada de células que são iguais e que trabalham em conjunto para realizar uma função específica.
Tratamento com imunoterapia: Tratamento para estimular ou restabelecer a capacidade do sistema imunitário de combater infecções e doenças. Também utilizada para atenuar os efeitos secundários que podem ser causados por alguns tratamentos oncológicos. Também conhecida por imunoterapia, bioterapia ou terapia modificadora da resposta biológica (BRM).
Terapêutica local: Tratamento que afecta as células do tumor e a área envolvente.
Terapêutica por radiação: A utilização de radiação de alta energia a partir dos raios X, raios gama, neutrões e outras fontes para matar células neoplásicas e reduzir o tamanho dos tumores. A radiação pode ser emitida a partir de um aparelho exterior ao corpo (radioterapia externa) ou a partir de material designado por radioisótopos. Os radioisótopos produzem radiação e podem ser colocados no tumor ou perto deste ou na área próxima às células cancerígenas. Este tipo de tratamento por radiação é designado por terapia por radiação interna, radiação por implante, radiação intersticial ou braquiterapia. A terapia por radiação sistémica utiliza uma substância radioactiva, tal como um anticorpo monoclonal marcado com radioactividade, que circula no corpo.
Também é designada por radioterapia, irradiação e terapia por raios X.
Terapêutica sistémica: Tratamento que utiliza substâncias que circulam na corrente sanguínea, atingindo e afectando células em todo o corpo.
Transfusão: A infusão de componentes do sangue ou de sangue na corrente sanguínea. O sangue pode ser doado por outra pessoa ou pode ter sido retirado antes da pessoa e armazenado até ser necessário.
Transplante de células germinais: Um método de substituir células sanguíneas imaturas que foram destruídas pelo tratamento oncológico. As células germinais são administradas à pessoa, após o tratamento de modo a ajudar a medula óssea a recuperar e continuar a produzir células sanguíneas saudáveis.
Transplante: A substituição de tecido por tecido do corpo da própria pessoa ou de outra.
Tumor de Wilms: Um cancro dos rins que ocorre geralmente em crianças com menos de 5 anos.
Tumor primário: O tumor original.
Tumor: Um novo crescimento de tecido que resulta de uma divisão celular anómala. Os tumores não desempenham nenhuma função corporal útil. Os tumores podem ser benignos (não cancerígenos) ou malignos (cancerígenos).
Ultra-sonografia: Um teste que reflecte ondas sonoras nos tecidos e órgãos internos e transforma os ecos em sonogramas (imagens).
Uretero: O tubo que transporta a urina do rim para a bexiga.
Uretra: Tubo através do qual a urina sai do corpo. Esvazia a bexiga retirando a urina.
Urina: Fluído que contém água e resíduos. A urina é produzida pelos rins, armazenada na bexiga e sai do corpo através da uretra.
Urografia de eliminação: É uma sequência de raios X dos rins, ureteres e bexiga. Os raios X são tirados depois de injectado contraste num vaso sanguíneo. O contraste concentra-se na urina, realçando os contornos dos rins, ureteres e bexiga nos raios X.
Urologista: Médico especialista em doenças dos órgãos urinários femininos e dos órgãos urinários e sexuais masculinos.
Vacina: Uma substância ou grupo de substâncias que têm por objectivo fazer com que o sistema imunitário reaja a um tumor ou a microrganismos, tal como bactérias ou vírus. Uma vacina pode ajudar o corpo a reconhecer e destruir células cancerígenas ou microrganismos.




Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico ou farmacêutico.