INVESTIGAÇÃO SOBRE O CANCRO

A investigação científica, levou a importantes avanços no conhecimento do cancro.

Muitos médicos, em Portugal, estão a realizar ensaios clínicos, em voluntários, para tentar descobrir e testar novos modos de prevenir, detectar, diagnosticar e tratar o cancro. Estão, também, a ser estudadas as causas do cancro, bem como os efeitos psicológicos da doença e modos de melhorar o conforto das pessoas com cancro e sua qualidade de vida.

Um ensaio clínico, é uma das fases finais de um longo e cuidadoso processo de investigação. A procura de novos tratamentos, tem início no laboratório. Se uma abordagem parece promissora, ao nível laboratorial, o passo seguinte é ver como é que esse tratamento se comporta e de que modo afecta o cancro, em animais e ver se tem efeitos prejudiciais. Claro que, tratamentos que funcionam bem, no laboratório ou nos animais, nem sempre funcionam da mesma forma nas pessoas.

Os ensaios clínicos são necessários, para descobrir se as novas abordagens à prevenção, detecção, diagnóstico e tratamento do cancro são seguras e eficazes; são desenhados e realizados para responder a importantes questões científicas. Muitas vezes, os ensaios clínicos comparam um método ou tratamento novo, com outro largamente estudado e aceite pelos médicos.

Os ensaios clínicos contribuem para o avanço do conhecimento e para o progresso contra o cancro. A investigação já resultou em grandes avanços e os investigadores continuam a procurar abordagens mais eficazes.

Devido ao progresso obtido através dos ensaios clínicos, muitas pessoas, que foram tratadas para o cancro, vivem mais tempo e com melhor qualidade de vida, comparativamente ao passado.

Há vários tipos de ensaios clínicos:

  • Ensaios de prevenção: nestes estudos, é avaliada a possibilidade de certas substâncias, como vitaminas ou fármacos, alterações da dieta, ou alterações do estilo de vida, poderem diminuir o risco de cancro.
  • Ensaios de rastreio: estes estudos testam novos métodos para descobrir o tumor, antes da pessoa ter quaisquer sintomas. Os investigadores estudam testes laboratoriais e processos de criar imagens que possam detectar tipos específicos de tumores. Por exemplo, os investigadores estão a estudar os riscos e benefícios da colonoscopia virtual (tomografia computorizada ao cólon), para rastreio do cancro do cólon.
  • Ensaios clínicos de tratamento: estes estudos abordam novos tratamentos e novas associações de tratamentos existentes. Por exemplo, estão a ser estudados fármacos que matam as células cancerígenas através de mecanismos de acção diferentes, novos métodos de cirurgia ou de radioterapia, bem como novas abordagens biológicas, como as vacinas.
  • Ensaios clínicos de qualidade de vida (cuidados médicos de apoio): são estudadas novas formas de melhorar o conforto e qualidade de vida das pessoas com cancro. Por exemplo, os médicos podem estudar fármacos que reduzam os efeitos secundários da quimioterapia, ou podem explorar novas formas de prevenir a perda de peso ou de controlar a dor.

Qualquer pessoa que participe num ensaio clínico, tem a primeira hipótese de beneficiar de novas abordagens; estará, também, a contribuir para o avanço da medicina, ao ajudar os médicos a saber mais sobre a doença.

Este site e o seu conteúdo têm um fim exclusivamente informativo e não substituem o aconselhamento médico. Os tratamentos de cada pessoa devem ser individualizados e conduzidos por profissionais de saúde, sendo o médico que acompanha o doente quem poderá indicar qual o tratamento adequado a cada caso. As instruções do médico e dos restantes profissionais de saúde que o acompanham devem ser rigorosamente seguidas, pelo que sugerimos que contacte sempre o seu médico.