Viver com Hepatite : Vida Sexual

Como gerir a vida sexual?

Não existem impedimentos para um doente com hepatite crónica ter uma vida sexual activa, mas devem ser tomadas precauções para não contaminar o parceiro, com destaque para o uso do preservativo que previne também outras doenças sexualmente transmissíveis. Os contraceptivos orais não estão contra-indicados em doentes com hepatite crónica vírica.

No caso das hepatites B e D, os parceiros sexuais devem ser vacinados contra a hepatite B. Em relação à hepatite C, embora o risco de contágio seja diminuto, é aconselhável usar o preservativo durante o período menstrual. O mesmo se passa com os portadores do vírus da hepatite G, embora não esteja provado que este vírus possa ser transmitido por via sexual. No que respeita à hepatite A, os casos de contágio sexual são raros, na hepatite E não estão provados, mas deve evitar-se o sexo oro-anal.

Por vezes, a insuficiência hepatocelular pode originar impotência e esterilidade. Nas situações de cirrose complicada com insuficiência hepática, os homens podem sofrer hipertrofia das mamas, diminuição (atrofia) dos testículos ou perda dos pelos púbicos e as mulheres podem deixar de ter menstruação.