Bolsas de Jornalismo

A 1ª Edição das Bolsas de Jornalismo em Saúde já tem vencedores.

Enfatizar o papel dos meios de comunicação social na contribuição para melhorar a qualidade dos cuidados de saúde e a qualidade de vida dos doentesfoi o grande objetivo das Bolsas de Jornalismo na área da saúde, uma iniciativa do Sindicato de Jornalistas que contou com o apoio da Roche.

De um total de 37 propostas de trabalho submetidas na área do cancro, cuidados primários de saúde, doenças raras - hemofilia, esclerose múltipla e prevenção e redução do peso da doença crónica na sociedade, 5 foram consagradas vencedoras por um juri constituído por: 

  • Graça de Freitas, Diretora-Geral da Saúde
  • Constantino Sakellarides, Professor de Saúde Pública e Políticas de Saúde
  • Dulce Salzedas, Jornalista da SIC
  • Isabel Nery, Vice-Presidente do Sindicato dos Jornalistas
  • Miguel Sanches, Diretor Médico da Roche

As propostas de trabalhos submetidas foram avaliadas de acordo com a inovação e originalidade do tema, do conteúdo e do formato do trabalho a desenvolver, da atualidade das matérias de saúde, bem como do nível de contribuição do tema da proposta para a melhoria da qualidade de vida dos doentes visados e dos cuidados de saúde em geral.

As 5 Bolsas de Jornalismo, com um valor unitário de dois mil euros, foram entregues a:

  • Margarida David Cardoso, jornalista do Público, que propôs o trabalho "Os Indefesos" sobre a esclerose múltipla e com o qual pretende explorar o tema da inovação terapêutica, incidindo sobre os mais recentes medicamentos e a forma como são capazes de mudar a vida dos doentes.
  • Ana Cristina Câmara, jornalista freelancer, que conquistou a atenção do júri com uma proposta sobre a hemofilia. "Sangue do meu sangue" é o título do artigo que pretende traçar um retrato do que é viver e conviver com a doença.
  • Christiana Martins, jornalista do Expresso, que propôs um trabalho na área da genética, uma ‘viagem’ em busca da mutação fundadora portuguesa do cancro da mama, que vai além das fronteiras nacionais, e que tem como título "Os rastos da mutação genética portuguesa que levou o cancro da mama a alguns cantos do mundo".
  • Ana Rute Peixinho e Sandra Moutinho, uma dupla da agência Lusa, que pretende, dentro do tema da prevenção e redução do peso da doença crónica na sociedade, reportar ‘"Como os empregadores ajudam os trabalhadores a lidar com a doença crónica".
  • Alexandra Campos, jornalista do Público, que no âmbito dos cuidados primários, propôs o trabalho "Há cidadãos de primeira e de segunda nos cuidados de saúde primários em Portugal", que pretende avaliar a evolução de alguns destes cuidados no País.